Clique e assine por apenas 4,90/mês

VEJA RIO Comer & Beber 2018 reúne a nata da gastronomia carioca

O veterano Rafael Costa e Silva, do Lasai, levou o troféu de Chef do Ano para casa mais uma vez

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 30 jul 2018, 12h12 - Publicado em 27 jul 2018, 17h57

De volta às dependências do Copacabana Palace, o prêmio VEJA RIO COMER & BEBER 2018, mais importante festa gastronômica da cidade, reuniu, em sua 23ª edição, 500 restaurantes, bares e endereços de comidinhas. A edição especial da revista, já disponível nas bancas, destrincha cada uma das dicas deliciosas de estabelecimentos cariocas onde se pode desfrutar das melhores experiências culinárias. Embalada por boa música e, é claro, comer e bebes de primeira, a celebração contou com a participação de muita gente bonita.   

Claude Troigros subiu ao palco para receber o prêmio de melhor Casual Moderno, que conquistou pelo trabalho no Chez Claude Reginaldo Costa Teixeira/Divulgação

Responsável pela apresentação da noite, a atriz mariana Ximenes conduziu a cerimônia e divertiu o público enquanto anunciava os vencedores de treze categorias de restaurantes, oito de bares e sete de comidinhas. Pela primeira vez na história da premiação – que teve o apoio luxuoso dos parceiros Nespresso, Petra, Olisur, Vinícola Aurora e Amázzoni Gin – os vencedores foram consagrados por um conselho de profissionais. Gente que, por dever de ofício, frequenta estes estabelecimentos. Para entregar os troféus, uma constelação subiu ao palco, a exemplo das atrizes Isabelle Drummond, Cris Vianna, Regiane Alves, Sofia Abrahão, do cantor Nego do Borel e do ator Ricardo Tozzi.

Por volta das 21h30, os primeiros ganhadores da seção comidinha subiam ao palco. Na categoria Confeiteira do Ano, novidade desta edição, a campeã foi a chef pâtissier Carolina Sales. O Café do Alto abocanhou a de melhor Café da Manhã. A Fazenda Paradiso Café foi escolhida como melhor cafeteria. O Organomix inaugurou com título o prêmio de melhor Empório Saudável. O B, de Burger foi considerado o melhor Hambúrguer. A The Slow Bakery faturou na categoria de melhor Padaria. Fechando a seção, a equipe da Bacio di Latte levou para casa o troféu de melhor Sorveteria.

O ator Marcelo Novaes, um dos sócios do Ella, subiu ao palco para receber o prêmio de melhor Pizzaria Reginaldo Costa Teixeira/Veja Rio

Como Bartender do Ano, o escolhido foi Igor Renovatto, do Garoa, que foi considerado o bar com os melhores Drinques. O prêmio de melhor Agito foi para o Canastra Bar. O Cru Natural Wine Bar faturou na nova categoria de melhor Bar de Vinhos. Santo Remédio levou o troféu de melhor Boteco. Em melhores Cervejas, o campeão foi o Yasteria. De volta à festa, a categoria de melhor Gastrobar ficou com o Nosso. Outra novidade desta edição, a categoria de melhor Quiosque premiou o Azur. O Xian foi considerado o bar com o melhor Visual

Continua após a publicidade

O veterano Rafael Costa e Silva, do Lasai, ganhou como Chef do Ano. Esteban Mateu, do Térèze, foi o Chef Revelação. O Lilia levou na categoria Bom e Barato. O Quitéria foi escolhido como melhor Brasileiro. O Malta Beef Club faturou como melhor Carne. O Rubaiyat ganhou na categoria melhor Carta de Vinhos. O Oteque, do chef Alberto Landgraf, foi escolhido como melhor Cozinha de Autor. O Chez Claude, do renomado chef Claude Troisgros levou o prêmio de melhor Casual Moderno. O Formidable Bistrot ganhou como melhor Francês, o Grado, como melhor Italiano, o Naga, como melhor Japonês e o Mee, como melhor Oriental. O D’Amici foi considerado a melhor Cozinha de Peixes e Frutos do Mar. Um dos sócios do Ella, o Ator Marcelo Novaes subiu ao palco para receber o troféu de melhor Pizzaria. O .Org Bistrô faturou na categoria de melhor vegetariano.

 

Publicidade