COMER & BEBER 2018/2019: Comidinhas – Cafés

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

ambiente_sofa_cafe-19.jpeg Sofá Café

Sofá Café (Lipe Borges/Veja Rio)

Armazém do Café. Reduto tradicional, comandado por um pioneiro especialista, Marcos Modiano. Lançamento exclusivo, o rumba premium vem da Serra do Caparaó, no Espírito Santo (R$ 9,00 o expresso; R$ 100,00 o quilo, para levar). Diariamente, há sete variedades da bebida, a exemplo do ba-hia (R$ 9,00 a xícara; R$ 100,00 o quilo), oriundo do município de Barra do Choça, e do orgânico frevo (R$ 8,00; R$ 105,00 o quilo), de São Jerônimo da Serra, no Paraná. O blend da casa, misto de grãos de São Paulo e Minas Gerais, custa R$ 6,00 (xícara de 50 mililitros) e também é vendido em cáp-sulas para máquinas da Nespresso (R$ 17,00 a caixa com dez unidades). Completam o programa comes como o bolo de fubá cremoso (R$ 9,00 a fatia) ou a tradicional torrada armazém, com duas fatias de pão gratinadas com parmesão (R$ 12,00) ou quei-jo de minas (R$ 13,00). Há combos para um desjejum completo, a partir de R$ 18,00, com cappuccino ou café, baguete, manteiga e geleia.

Bastarda. Neste ponto de encontro de ciclistas, a pequena butique de acessórios para fãs das pedaladas divide espaço com variado equipamento dedicado a outra especialidade: o café. Além do expresso (R$ 6,00), opção para quem busca potência e amargor, a bebida é oferecida em seis métodos coados. No sifão, um globo de vidro que combina infusão e filtragem, o pedido (R$ 15,00, 200 mililitros) rende duas xícaras cheias. Outras dicas da carta são o matchá com leite (R$ 16,00), o cappuccino (R$ 9,00) e o pingado (R$ 10,00), leite vaporizado com duas doses de expresso. Para quem curte café gelado, o barista João Guilherme Cordeiro indica o bastarda lemon (R$ 9,50), preparado com expresso, limão, água com gás e açúcar.

Café do Alto. O nome vem dos tempos no Clube Campestre, no Alto Leblon, mas ainda é adequado. Desde 2012 em Santa Teresa, a casa segue bem acima do nível do mar, em um imóvel no Largo dos Guimarães, o coração do bairro. Decorado com chita, bonequinhas de pano e outros elementos regionais, o ambiente prepara os espíritos para o café da manhã nordestino (R$ 50,00), oferecido nos fins de semana e feriados das 9 às 13 horas. Dica: chegue cedo para driblar as filas recorrentes. Coloridas panelas esmaltadas guardam aipim, inhame, batata-doce, milho, banana-da-terra cozidos — à espera de uma lambuzada de manteiga —, queijo de coalho grelhado e ovo mexido com carne-seca. Uma cartela exibe sugestões preparadas na hora e levadas à mesa. Frutas, frios e tapiocas em dezessete sabores (doces e salgados) estão na lista. Para beber, além das dicas quentes, como café coado, ficam na bancada jarras de sucos naturais, chás gelados e água aromatizada. Tem mais: a ala doce inclui bolos de rolo e de fubá com goiabada, canjica e outras delícias. O repasto ainda traz o bolo souza leão, Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Pernambuco, o queijo manteiga, típico do sertão, e o cuscuz de milho, tradição matinal entre as famílias de Alagoas e da Bahia. Uma aula.

Café Secreto. Em uma vila sossegada no Largo do Machado, a lojinha presta belo serviço aos adeptos de cafés especiais. Gabriela Ribeiro, a proprietária, enche xícaras com blends da marca Isso É Café, produzidos em Mococa, São Paulo. Um hit, o carmita (R$ 8,50, coado) tem sabor frutado e aroma floral. Fique de olho nos grãos visitantes, microlotes que ela garimpa de pequenos produtores e, por isso mesmo, variam bastante — nesses casos, a xícara custa R$ 15,00. A carta de drinques inclui o tropicália, mistura de expresso com água de coco (R$ 12,00) servida gelada. Mesas do lado de fora acomodam quem quiser unir os goles a comidinhas. Bolos do dia saem a R$ 8,00 a fatia. É o caso da torta-musse vegana de chocolate. Da ala salgada, prove a tartine de tomate assado com queijo da Serra da Canastra no pão sourdough (R$ 18,00).

Café SorelleElsia Mattoso, uma das sócias do conhecido endereço no Humaitá, andou mexendo no cardápio. Entre as mudanças, o rose latte (R$ 11,00) é uma receita de expresso, leite, água de rosas e pétalas da flor. Também foi dela a ideia de integrar ao menu pedidas como o matcha latte (R$ 9,50), bebida de chá-verde em pó e leite, e o delicioso folhado de passas e canela (R$ 10,00). Os fãs do pretinho básico podem escolher entre os métodos Hario V60, chemex e aeropress (R$ 9,00, individual; R$ 13,00, duplo; R$ 17,00, triplo), coados com grãos Orfeu, Suplicy ou Jacu Bird. Para beliscar, há pães de queijo (R$ 6,00 a unidade) e um famoso bolo de laranja (R$ 7,00 a fatia), já premiado no especial COMER & BEBER. Outro caminho no menu é o das refeições leves, como sopas, saladas, omeletes, quiches e massas. Nessa seara, é boa pedida o salpicão de frango (R$ 30,00), com palmito fresco, manga e batata palha feita no forno, sem nada de maionese.  

CafunéUm novo ponto deve abrir as portas no centro empresarial CEO, também na Barra, até o fim de 2018. A alma do negócio é o café de origem. Na unidade do Città América há sempre um aroma agradável no ar, culpa da torrefação no 2º andar, ritual prestigiado pelos clientes assíduos. Pela máquina de expresso (R$ 6,00) passam variedades da capixaba Serra do Caparaó ou de Carmo de Minas, grãos também apreciados na versão coada (R$ 9,00, uma xícara grande). Hit entre as bebidas quentes, o chocolate com espuma de leite (R$ 11,00) segue um sucesso. Um menu de chás naturais, feitos por infusão com blends próprios, tomou corpo nos últimos meses. Dessa lista, são sugestões atraentes as misturas de hibisco, capim-limão e melissa (R$ 9,00) e de erva-doce, cavalinha e canela (R$ 7,00). Ambas também são servidas geladas. Para acompanhar, vá de tapioca recheada (R$ 14,50 a R$ 17,00) ou waffle de pão de queijo, com massa de receita própria, acompanhado de manteiga e geleia (R$ 13,00). Na hora do almoço, entra em cena um pequeno cardápio de refeições leves servidas a partir de R$ 24,90.

ColabA casa cresceu no último ano. Agora são quatro ambientes, com destaque para o 2º andar, onde figuram mesas, um sofá e uma rede, e para a laje a céu aberto, com bancos, cadeiras de praia e bar. Entre as pedidas matinais, valem a visita o pão sourdough de produção própria (R$ 10,00), servido com manteiga e mel, e o iogurte com frutas vermelhas orgânicas, mel e granola caseira (R$ 12,00). Delicioso, o cinnamon roll (R$ 8,00) vai bem com o café macchiato (R$ 9,00) ou o chai latte, feito de leite vegetal, cúrcuma e matchá (R$ 12,00). Nos fins de semana, o brunch entra em vigor das 10h às 16h. A qualquer hora do dia são servidos sanduíches com pães de fermentação natural. A sugestão recheada de pastrami, queijo da Serra da Canastra e rúcula (R$ 24,00) pode ser acompanhada de kombucha de maracujá (R$ 14,00) ou cold brew (R$ 8,00), infusão de café a frio. Há ainda pratos executivos, que variam de R$ 26,00 a R$ 28,00. Ao cair da noite, o clima de badalação combina com receitas de curry no menu de inspiração indiana, feitas de frango, tofu ou shiitake e servidas no bowl com arroz (a partir de R$ 28,00).

Da Casa da Táta. A paixão por bolos, pães, biscoitos e outros quitutes de sabor caseiro levou a goiana Marta Jubé, a Táta, e o marido, Álvaro Albuquerque, à criação deste recanto na Gávea. Quase nada mudou desde a inauguração, há dezoito anos, e ninguém reclama. O ponto segue movimentado por clientes antigos, além de novos visitantes, atraídos pela atmosfera aconchegante e pelo cheirinho de bolo saindo do forno. Receitas como a que leva fubá de arroz (R$ 4,50 a fatia) são ótimas companhias para o café coado (R$ 4,00 o grande). Atração diária, a qualquer hora, o café da táta (R$ 48,00) reúne pães artesanais, geleia, manteiga, fruta, frios, pão de queijo, bolo, pão doce, suco e bebida quente.

Empório Jardim. Tricampeão na categoria, o misto de padaria, delicatessen e bistrô nasceu no Jardim Botânico, ganhou filial charmosa na Gávea — no Instituto Moreira Salles, com mesinhas no jardim projetado por Burle Marx — e neste ano inaugurou em Ipanema sua maior unidade. Disponível o dia todo, a cartela com dicas de café da manhã elenca delícias de produção própria, como os pães de fermentação natural (três fatias do espelta custam R$ 6,90), iogurte (R$ 7,90), requeijão (R$ 4,50) e manteiga de figo (R$ 3,90). Ovo beneditino com peito de peru defumado (R$ 21,50), tapioca de queijo de minas padrão (R$ 16,90) e croissant romeu e julieta (R$ 9,80) são outras pedidas.

Fazenda Paradiso Café. Com a fazenda adquirida em 2013, a família Pereira deu início a uma história de amor por cafés especiais. De Santo Antônio do Amparo, no sul de Minas, chegam os grãos que abastecem a loja votada na categoria Cafeteria, nesta edição do COMER & BEBER. No sobrado do século XIX, atendentes bem treinados sugerem experiências, como o desafio da xícara (R$ 10,00): dois expressos da mesma variedade servidos em recipientes com volumes diferentes. Há sempre ao menos três tipos, como catucaí, bourbon amarelo e o blend topacatu, extraídos em um dos cinco métodos disponíveis, a exemplo do Hario V60 (R$ 11,40, café especial; R$ 13,20, especial de origem; 100 gramas). Também são três as versões de expresso: curto (R$ 5,50), tradicional (R$ 6,50) e duplo (R$ 10,00 a R$ 13,00). Outra dica, o cold brew artesanal (R$ 11,00) é extraído a frio e servido gelado. Para acompanhar, escolha entre o pão de queijo de produção própria, que mistura parmesão e o tipo curado da Serra da Canastra (R$ 5,00), e o brownie com um toque de ca­fé (R$ 6,50).

Folie à DeuxDe frente para a Praça São Judas Tadeu, onde fica a estação do Trem do Corcovado, funciona a empreitada tocada pelo casal Ligia Barreto e Clarisse Ivo, em parceria com a irmã Marina Ivo, com programação que inclui exposições e outras ações culturais. No cardápio sobressaem os cafés Terroá, da Chapada Diamantina, oferecidos em diferentes torras e métodos de extração. O tipo coado na prensa francesa ou na Hario V60 ganha dois preços: R$ 7,00, para cada um dos três blends fixos, e R$ 10,00, para o microlote do dia, pedida mais exclusiva. Fãs do expresso encontram opções a partir de R$ 6,00. Para acompanhar, escolha entre o pão de queijo da Serra da Mantiqueira (R$ 10,00, com três) e o waffle da vovó Lia, servido com manteiga e mel ou geleia (R$ 20,00). Da cozinha aberta saem ainda pratos de almoço que mudam a cada dia (R$ 38,00 a R$ 45,00). Opção para qualquer hora, a omelete pode ter recheios diversos, como mix de cogumelos frescos ou queijo de cabra com tomate-cereja, cebola-roxa e alho-poró (R$ 22,00 cada sugestão), e ser acompanhada de salada (R$ 29,00).

Gaia Art & CaféEspecializado em receitas sem carne, o ponto abriga, desde o início de 2018, um café da manhã repleto de pedidas saudáveis, preparadas com ingredientes orgânicos. O cardápio elenca 35 opções, como a tapioca de banana com queijo de coalho e melado (R$ 15,90), o pão folha crocante recheado de coalhada seca (R$ 14,00) e a tartine caprese (de queijo, tomate e manjericão) sobre pão de fermentação natural (R$ 10,90). Sugestão doce, e vegana, o parfait (R$ 16,90) tem camadas de creme de castanha-de-caju com tâmara e de morango em calda. O café da roça (R$ 5,00), coado na hora, completa o programa. Para mais tarde, há uma seção de hambúrgueres. A lista traz, entre outras dicas, o pink vegan (R$ 36,00), disco de feijão-branco com beterraba, cogumelos portobello, cebola-roxa, alface e crisps de alho-poró, servido com creme vegano rosa e batata-doce assada (R$ 36,00). Entre os tira-gostos, um sucesso local é a porção com dez unidades de bolinhos de sol (R$ 24,00), feitos de arroz integral com cogumelos e escoltados por molho teriyaki.

Petit Formidable

Petit Formidable (Alexander Landau/Divulgação)

MarchezinhoUma ampliação que quadruplicou a capacidade local, espalhando mesas pela calçada, redobrou a animação no ponto do Baixo Botafogo. Após as obras, os trabalhos passaram a ser iniciados no meio da manhã e seguem, como de praxe, até o começo da madrugada. Na empreitada de amigos brasileiros e franceses, o cardápio e as prateleiras exibem produtos artesanais. Sucesso entre os pedidos para começar o dia, croc’canastra (R$ 24,00) é feito com pão de mandioca, queijo da Serra da Canastra, jambon de Paris e molho bechamel. Para acompanhar, prove o switchel (R$ 14,00), bebida isotônica, à base de água, gengibre e vinagre de maçã. Na hora do almoço entram em cena sanduíches com salada e refeições executivas, em combos com prato principal mais entrada ou sobremesa (R$ 37,00). À noite, a vez é da carta de tapas e drinques, como o simpático clericot do lee (R$ 35,00 a jarra), elaborado com vinho branco, frutas frescas, xarope de açúcar e água com gás. Curiosidade: os sócios promovem a casa com programação que pode incluir exposições, música ao vivo e até partidas de pétanque, uma versão francesa do jogo de bocha. 

Jarbô Café e Brasserie. Dentro do Jardim Botânico, o café ocupa desde agosto de 2017 o lugar da extinta filial da La Bicyclette — a matriz segue firme, também no bairro. No cardápio destacam-se combos para café da manhã e brunch. O mais simples é o early bird (R$ 39,00), reunião de cesta de pães artesanais, manteiga, geleia, ricota de cabra, salada de frutas da estação, um suco e uma bebida quente. Mais robusto, o brunch du Jardin (R$ 76,00) traz ainda uma porção de ovos mexidos com três possíveis acompanhamentos: tomates confit e cogumelos, bacon crocante ou salmão curado. Pedida mais completa, o brunch jarbô (R$ 98,00) leva à mesa ovos, cesta de pães artesanais, geleia, manteiga, frios, bolo, iogurte com granola, salada de frutas, drinque, suco e bebida quente. O serviço é diário e oferecido em qualquer horário.

Maya CaféNegócio bem-sucedido em um canto tranquilo de Laranjeiras, o café ganhou sua primeira filial na charmosa Villa Aymoré, na Glória. O ponto mais novo funciona no formato grab & go, com comidinhas prontas para o consumo, vendidas em embalagens descartáveis. Há dicas como salada de salmão defumado com manga (R$ 13,90 a pequena) e miniempadão de palmito ou frango (R$ 9,90 cada pedido). Da cozinha, o sanduíche de pastrami e aïoli (R$ 34,90) é um clássico no cardápio da matriz. Em Laranjeiras, os requisitados combos de café da manhã são servidos a qualquer hora do dia, no salão principal e no espaço anexo, menor, com brinquedos para distrair os pequenos. A opção mais completa é o combinado maya café (R$ 69,90), com cesta de pães australianos, ciabattas, broas de milho e croissants, frios, manteiga, geleia, cream cheese, frutas picadas, fatias de bolo, iogurtes, sucos e bebidas quentes. O maya vegan (R$ 25,90) é feito com ingredientes de origem vegana, sem exploração animal: entre as fatias de focaccia crocante, delicie-se com o recheio de pasta de grão-de-bico, caponata e rúcula.

Petit FormidableCom fornadas de pães quentinhos a cada meia hora, a minúscula padaria anexa ao Formidable Bistrot tem clientela fiel sempre a postos — de lá saem os pães do grupo Irajá, comandado pelo chef Pedro de Artagão, que reúne restaurantes como o próprio Formidable, o Irajá Gastrô e o Cozinha Artagão. Além das mesas na calçada, o salão vizinho recebe a clientela para o café da manhã, servido das 8h às 18h. Lançamentos de 2018, o pain au chocolat (R$ 14,00) e o croissant de fermentação natural (R$ 9,00) são apostas gourmets. Para um lanche rápido, uma dupla infalível traz baguete na chapa com manteiga (R$ 5,00) e chocolate quente (R$ 16,00 o grande). Entre as três sugestões de misto-quente, invista no especial (R$ 18,00), com pão carioca, presunto alemão e queijo gruyère. Uma curiosidade do menu é a variedade de sugestões com ovo, do preparo simples, com bacon (R$ 12,00), ao francês oeuf benedict (R$ 36,00). O bolo do dia (a partir de R$ 8,00 a fatia) pode adoçar a visita.

Sofá CaféPerto do Copacabana Palace, a casa serve a cariocas e turistas grãos de origem controlada. Nesta filial de um negócio paulistano se encontram expressos a partir de R$ 4,95 (o simples), além de versões arrojadas, como a que inclui raspas de cítricos (R$ 5,90) e a de chantili com cardamomo (R$ 7,60). Mas a menina dos olhos é mesmo o menu de cafés coados em cinco métodos de extração. Quatro deles — Hario V60, French Press, Aeropress e Chemex — são reunidos na degustação coffeeaholic (R$ 85,00), uma forma de ressaltar diferenças entre os aromas e sabores produzidos. Só fica de fora o performático syphon (R$ 15,50, 150 mililitros), que lembra um experimento científico. Nos demais tipos, o blend da casa custa R$ 9,90 e o blend superspecial, com variedades da Nicarágua e do Quênia, sai a R$ 13,20. Escolhida a bebida, decida-se pelo petisco, como a broa de milho na chapa com manteiga (R$ 6,00), uma fatia de bolo caseiro (R$ 8,50) ou as saborosas medialunas (R$ 8,30 a dupla, com manteiga). O cardápio elenca ainda saladas, sanduíches, quiches e omeletes para qualquer hora do dia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s