Clique e assine por apenas 4,90/mês

Kits de receitas semiprontas ganham impulso pela praticidade

Nesta modalidade você também é chef. Basta esquentar, montar o prato e saborear no conforto de casa

Por Fábio Codeço - Atualizado em 17 jul 2020, 21h47 - Publicado em 17 jul 2020, 06h00

Para os apreciadores da boa mesa, nada se compara ao deleite de uma bela refeição no salão de um restaurante, com todos os ritos que a experiência envolve. O clima do ambiente, um serviço de vinhos azeitado, a trilha sonora em sintonia, tudo contribui para que o prato seja apenas um item de um vasto cardápio de sensações prazerosas.

Com o fechamento dos estabelecimentos durante a pandemia, o caminho encontrado pelos cariocas para ter um pouco disso foi recorrer ao bom e velho delivery. Isso ajudou, em alguma medida, a romper com o marasmo, diversificando os temperos. É bem sabido, porém, que a comida entregue em domicílio está sujeita a intempéries no caminho: às vezes ela chega fria, outras vezes sem aquela textura com que é servida na bandeja do garçom.

+As marcas do racismo na história de mulheres de diferentes gerações e trajetórias

E assim, como alternativa para quem quer chegar o mais perto possível do original, uma nova modalidade brotou na quarentena: restaurantes começaram a levar até os clientes ingredientes semiprontos, tudo sob medida para que a finalização da receita seja feita no fogão de casa.

Continua após a publicidade

Que ninguém se espante porque o processo é simples. Escolhido o pedido, o estabelecimento manda todos os itens na exata quantidade para o preparo, que consiste basicamente em esquentar e montar o prato na hora de servir – roteiro, aliás, muito bem mastigado para os que vão se aventurar na cozinha.

+Como será a volta às aulas no Rio após a temporada de ensino on-line

Como a missão requer apenas procedimentos básicos, até quem só sabe fritar um ovo pode desfrutar seu momento como mestre-cuca. “É como se estivéssemos cozinhando juntos. O cliente também vira chef”, diz Morena Leite, do Capim Santo, que testou o serviço no Dia dos Namorados e vai repetir a dose para o Dia dos Pais. Em geral, as porções são enviadas em embalagens a vácuo, o que aumenta consideravelmente a durabilidade dos alimentos, que, dessa forma, podem ser inclusive congelados.

Muitos endereços cariocas, como Grado, Tragga e Bráz, passaram a oferecer o sistema de “monte o seu próprio prato”. O novo formato foi adotado ainda por casas de alta gastronomia, entre elas o Lasai, onde as panelas são orquestradas por Rafael Costa e Silva. O restaurante ousou ao inventar menus degustação que chegam em uma caixa contendo frascos de azeites aromatizados, potinhos com brotos frescos, molhos e cremes, além de proteínas cozidas em sous-vide (traduzindo: sacolas plásticas seladas a vácuo, mergulhadas em água em baixas temperaturas, que controlam com precisão o ponto da cocção).

Continua após a publicidade

+Sonhos estranhos na pandemia? Você não é o único

Os chamados meal kits surgiram há mais de uma década na Suécia, espalharam-se pela Europa e chegaram aos Estados Unidos em 2012, onde o mercado é encabeçado por empresas como Blue Apron e Hello Fresh, esta alemã. No Brasil, aportaram com o impulso de empresas como a Kuke e a Yellow Mango. A pandemia e a busca por novidade à mesa de casa deram um bom empurrão nesse nicho. Entre março e abril, a Yellow Mango recebeu 5 000 pedidos, o dobro da média na era pré-coronavírus. Até o risoto, que vira uma maçaroca quando esfria por causa do alto teor de amido presente no arroz, é opção viável nesse modelo. “Mandamos o arroz pré-cozido para o cliente aquecer o caldo e misturar na hora, como é feito no restaurante”, diz a empresária Eva Monteiro.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Para quem nestes tempos estranhos descobriu na cozinha uma diversão, essa é uma trilha que não exige muito tempo nem trabalho. Queimam-se as etapas mais enfadonhas e menos glamorosas do processo, como lavar, descasar e picar. Na maioria dos casos, uma panela com água fervendo faz todo o serviço por si só. “Basta mergulhar os saquinhos e esperar cinco minutos para ter uma refeição deliciosa”, promete a chef Kátia Barbosa, que passou a entregar algumas de suas especialidades, como o arroz de rabada e o bobó de camarão, no formato de kits. Depois, é só salpicar as ervas, regar com um bom azeite e voilà. A receita dificilmente vai desandar.

Continua após a publicidade

Sem medo de errar

Encontre o seu kit e monte em casa

Bráz Veloce – A pizzaria lançou versões semiprontas para terminar de assar em casa. Uma opção, a castelões, é coberta por calabresa e custa 49 reais. Como pedir: pelo iFood ou Rappi.

Bráz Veloce: castelões Bruno Geraldi/Divulgação

Capim Santo – A chef Morena Leite elabora seus kits em datas especiais. O próximo será servido no Dia dos Pais, a 349 reais para quatro pessoas. Como pedir: pelo Instagram @capimsantorio.

Continua após a publicidade

Kuke – A empresa vende kits próprios e experiências com casas parceiras. A seleção feita com o Meza Bar traz cerveja e cuscuz de camarão com bacon. Como pedir: pelo site kuke.com.br.

Lasai Empório – O cliente monta um menu degustação completo com receitas servidas no estrelado restaurante do chef Rafael Costa e Silva, técnico do reality Mestre do Sabor. Como pedir: pelo Instagram @lasaiemporio.

Lasai: menu degustação pré-pronto Rodrigo Azevedo/Divulgação

Lima Cocina Peruana – O chef peruano Marco Espinoza encaixotou um clássico da sua terra: o ceviche. O prato está disponível em duas
versões, a clássica e a de frutos do mar. Como pedir: pelo iFood.

Prosa na Cozinha – Manu Zappa oferece aulas on-line, inclusive com chefs convidados, em que ensina o passo a passo dos kits elaborados por ela. Como pedir: pelo Instagram @prosanacozinha.

Grado – A casa italiana fornece caixas com massas frescas acompanhadas de molho caseiro e queijo ralado em porções para duas pessoas. Como pedir: pelo Instagram @gradorestaurantez.

Continua após a publicidade
Grado: para finalizar em casa Tomás Rangel/Veja Rio

Tragga – As instruções para o preparo das receitas podem ser acessadas pelo celular por QR code. O kit traz carnes de primeira em um menu de quatro etapas que custa 219 reais. Como pedir: pelo telefone 98109-5242.

Yellow Mango – Oferece mais de 200 receitas separadas por temas, que vão de pratos veganos a gourmets, tudo para preparar em até vinte minutos. Como pedir: no yellowmango.com.br.

Kátia Barbosa em Casa – A inventora do bolinho de feijoada entrega, além do quitute, arroz de rabada, bobó de camarão, feijoada e outras
receitas brasileiras semiprontas. Como pedir: pelo telefone 2502-8218.

Kátia Barbosa: receitas para esquentar Beg Silva/Divulgação
Publicidade