Clique e assine por apenas 4,90/mês

COMER & BEBER 2017/2018: pães – Comidinhas

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 28 jul 2017, 19h20 - Publicado em 28 jul 2017, 17h47

A edição especial VEJA COMER & BEBER Rio reúne 140 endereços de comidinhas. Abaixo, a seleção dos melhores lugares para comer um ótimo pão.

Il Pane E Gelato Sardo: Donos da Casa do Sardo, concorrida cantina italiana em São Cristóvão, Paolo di Bella e Silvio Podda voltam a investir no bairro. A poucos metros da matriz, a dupla inaugurou um misto de padaria, confeitaria e gelateria. Voltada para a rua, a vitrine dos sorvetes chama atenção. De textura cremosa, receitas típicas como o gelado de pistache se juntam a outras de sotaque brasileiro, a exemplo das versões de açaí e de tapioca. Os preços vão de R$ 9,50 (um sabor) a R$ 19,00 (quatro), na casquinha ou no copinho. Sugestão de sanduíche, o itália vem na ciabatta com presunto de Parma, tomate, alface e mussarela (R$ 15,00). A saborosa focaccia de alecrim e azeitona preta (R$ 44,90 o quilo) é dica para levar para casa ou provar ali mesmo, com um pouco de azeite. Nos sábados e domingos, até as 14h, é servido café da manhã em estilo colonial por quilo (R$ 54,90).

La Bicyclette, eleito o melhor pão
La Bicyclette Tomás Rangel/Veja Rio

La Bicyclette: No último ano, houve perdas e ganhos no prestigiado empreendimento do casal formado pelo francês Henri Forcellino e pela carioca Ana Paula Gentil. A matriz segue firme e forte ao lado do Jardim Botânico, com suas mesas na calçada protegidas por ombrelones, mas a filial dentro do parque foi fechada em abril. Em compensação, os quitutes da marca ganharam um quiosque na Galeria 566, no Leblon. Entre as sugestões que conquistaram o júri do COMER & BEBER em 2014 estão baguete (R$ 7,00, fina; R$ 9,00, rústica), ciabatta (R$ 4,50), croissant (R$ 4,50) e pães de figo com erva-doce ou de nozes com passas (R$ 18,00 cada um). A qualquer hora, saem bons sanduíches, como o place d’italie (R$ 25,00), recheado de pastrami, mostarda de Dijon e rúcula, e o beauborg (R$ 26,00), de queijo brie, chutney de damasco e rúcula, ambos no pão à escolha. Para acompanhar, café expresso (R$ 5,50) e cappuccino (R$ 7,90 o grande), entre outras bebidas quentes.

+ Saiba onde comer os melhores salgados do Rio

Continua após a publicidade

Pastrella: A loja no Leblon oferece pães e massas artesanais à clientela fiel. As sócias Claudia e Flávia Toledo acompanham o processo de fabricação com uma equipe de nutricionistas. Fazem sucesso as fornadas de pães recheados de calabresa, presunto ou provolone (R$ 17,00 cada pedido), além de damasco com quatro queijos (R$ 19,00). Xícaras de expresso (R$ 4,50) ou cappuccino (R$ 5,50 o pequeno) podem acompanhar qualquer das opções. No almoço há pedidas apetitosas, como ravióli de queijo de cabra ao pomodoro (R$ 36,70) e tortelli de pato ao funghi (R$ 42,00). Esses dois clássicos locais são servidos com pizza branca ou salada e podem ser degustados nas poucas mesas do ambiente. Para garantir a refeição em família no conforto do lar, vale levar o próprio pirex para abrigar delícias como a lasanha de camarão (R$ 38,40). Também é possível encomendar pizzas de mussarela, calabresa, presunto ou margherita (R$ 19,80 a média; R$ 12,90 a brotinho). Entre as doçuras, a mais popular é a cheesecake em tamanho míni, de morango ou de damasco (R$ 15,80 cada pedido).

Ruis: pão típico dos países nórdicos Tomás Rangel/Divulgação

S.p.a. Pane: Referência em pães artesanais, campeão na categoria na edição de 2016 do COMER & BEBER, o estabelecimento funciona em uma loja de conveniência no posto Ipiranga da Curva do Calombo. Criador da marca e responsável pelas fornadas, Marcos Cerutti desenvolve receitas para outros estabelecimentos, a pedido de chefs conhecidos — é dele, por exemplo, a massa das pizzas do novo empreendimento do mestre-cuca Pedro Siqueira. Com formação na Itália e especialização em São Francisco, Cerutti produz delícias sem aditivos químicos, assadas no forno de pedra. Um destaque é o pão de azeitona (R$ 35,00, 700 gramas). Pela baguete de 350 gramas pagam-se R$ 24,00. Uma linha mais recente elenca três sugestões à base de centeio, inspiradas em receitas nórdicas. Um exemplo: o ruis (R$ 40,00, 500 gramas) remonta ao tempo dos vikings, quando o grão era moído com água do mar e misturado à massa já fermentada. O sistema de pedidos e entregas é feito on-line pelo site http://www.spapane.com. Encomendas devem ser feitas até as 23h do dia anterior, de quarta a sábado, a partir das 16h.

+ Confira as melhores casas de doce da cidade

Talho Capixaba: Em 1958 o português Alberto Abrantes inaugurou seu açougue na Rua Venâncio Flores. Perto dos anos 2000, no atual ponto no Leblon, seu filho Luiz deu início à bem-sucedida expansão do negócio da família. Fornadas a cada quarenta minutos trazem pães de fermentação natural, sem açúcar nem adição de gordura, em mais de quarenta receitas. O de casca dura, feito com farinha portuguesa (R$ 34,50 o quilo), é um hit. Um toque especial pode ser proporcionado pela baguete au levin (R$ 4,40 a unidade) ou pelo pão preto terroir (R$ 4,50), com farinhas de cevada e centeio. Na linha sem glúten nem lactose sobressai a focaccia de alecrim (R$ 9,00). Entre os doces, o fradinho (R$ 5,80), canudo de massa folhada recheado de chocolate, fica ainda melhor aquecido. Na matriz ou na pequena filial na Gávea, batizada como Talho Café, há empadas saborosas nos sabores camarão, frango, palmito, queijo e alho-poró (R$ 6,20 a unidade). No Leblon, lugares no mezanino e na calçada são disputados no café da manhã, principalmente no fim de semana. Sanduíches podem ser montados ao gosto do cliente. Uma sugestão é o misto capixaba (R$ 19,60): presunto royale, queijo gouda e manteiga no pão francês.

Continua após a publicidade

The Slow Bakery: A clientela cativa formada em contínuas edições da feira Junta Local levou Ludmila Spindola e Rafael Brito a dar um passo mais firme e abrir um ponto para produzir e vender seus adoráveis pães artesanais. Com o dinheiro levantado através de uma plataforma de financiamento colaborativo, eles inauguraram, em abril de 2016, o charmoso espaço em Botafogo onde funcionam a padaria e um café. Praticamente todos os ingredientes usados no cardápio são elaborados ali mesmo — da mostarda ao iogurte, das conservas ao mascarpone. No ambiente despojado, o aroma de pães assando depois de longa fermentação (alguns por 48 horas) é inebriante. Para levar, a lista inclui focaccia (R$ 5,00, 100 gramas), pão de azeitona (R$ 36,00, 800 gramas) e filone di sêmola (R$ 32,50, 680 gramas), receita de casca fina e interior macio. Estrela local, o rio sourdough (R$ 19,50, 500 gramas) é usado no preparo das tartines, oferecidas em quatro sabores (veja abaixo). Outra criação imperdível, o joelho, feito com massa de brioche, é servido de quinta a sábado na versão original, de queijo e presunto, bem como nas variações de ratatouille e de cebola caramelada (R$ 10,00 cada uma). Uma ótima carta de cafés, tirados por especialista, completa o programa. Dica: para encontrar maior variedade de pães, apareça por volta das 12h30 durante a semana e um pouco mais cedo no sábado.

Publicidade