Clique e assine por apenas 4,90/mês

COMER & BEBER 2017/2018: café da manhã – Comidinhas

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 28 jul 2017, 18h15 - Publicado em 28 jul 2017, 15h57

A edição especial VEJA COMER & BEBER Rio reúne 140 endereços de comidinhas. Abaixo, a seleção dos melhores lugares para tomar um bom café da manhã.

Café do Alto: No charmoso espaço, que começou as atividades em 2003, no Alto Leblon, e está instalado em Santa Teresa há cinco anos, o bufê de café da manhã de sotaque nordestino (R$ 50,00 por pessoa, das 9h às 13h), estrela local, provoca filas nos fins de semana e feriados. Há iguarias dispostas em panelas esmaltadas coloridas e outros tantos itens disponíveis via comanda, tudo incluído no preço. Na mesa, encontram-se cuscuz salgado de milho, queijo de coalho grelhado, ovos mexidos com carne-seca, bolo de milho, pé de moleque e doçuras regionais, como o pernambucano bolo de rolo. Banana-da-terra, inhame, batata-doce e aipim cozidos também marcam presença. Para beber, café, leite, chás gelados, sucos naturais, chocolates e águas aromatizadas. O cardápio de tapiocas também entra na brincadeira, em versões menores. Em tamanho maior, pedidas à parte, fazem sucesso as de vatapá (R$ 20,00) e de carne-seca com queijo manteiga grelhado (R$ 22,00). Um dos quatro combinados, que saem a qualquer hora do dia, o arretado (R$ 40,00) reúne cuscuz, ovo mexido com carne-seca, macaxeira, queijo de coalho grelhado, bolo e bebida quente. A chef Mariana Vil­las-Boas serve, no almoço, pratos como o risoto de camarão com arroz vermelho da Paraíba e raspas de limão-siciliano (R$ 45,00), ou o rubacão, um hit local: trata-se de uma variação do baião de dois, com arroz vermelho, feijão-de-corda, cubinhos de carne de sol e queijo de coalho grelhado, em mistura cremosa. Dica: o bondinho, em parte reativado no último ano, para ao lado da casa.

tomas-rangel-1.jpeg
Como casa de vó: Da Casa da Táta produz alguns dos melhores bolos caseiros da cidade Tomás Rangel

Da Casa da Táta: Premiado na edição 2008 do COMER & BEBER, o reduto da goiana Marta Jubé, de ambiente aconchegante e rústico, convida a um café da manhã sem pressa. Em tempos de crise, o espaço manteve os preços do ano passado: o combinado completo, chamado de café da táta, ainda custa R$ 42,00 (individual). Cesta de pães artesanais, geleia, manteiga, fruta, frios, porção de pão de queijo, fatia de bolo do dia (torça para ser o de laranja), pãozinho doce, suco e bebida quente são servidos nas mesas comunitárias, entre paredes de tijolo aparente, sob luminárias em forma de lampião. Não se arrepende quem passa por lá para tomar um café (R$ 4,00, coado; R$ 4,50, expresso) acompanhado de pamonha (R$ 10,00), preparada à moda da terra natal da dona, nas versões doce e salgada. Além do famoso desjejum, a casa oferece comida caseira na hora do almoço, como picadinho, às segundas, e a galinhada, típica de Goiás, às sextas (R$ 25,00). A feijoada (R$ 26,00), aos sábados, também é satisfação garantida.

Empório jardimO misto de padaria, delicatessen e bistrô, eleito pela terceira vez o endereço onde se faz o melhor desjejum da cidade, ganhou, em agosto de 2016, agradável filial no Instituto Moreira Salles. Ali, os melhores lugares são as mesas ao ar livre, diante do lago com carpas e do mural de azulejos de Burle Marx. Sabores de produção própria abastecem o cardápio de café da manhã, mas os itens, listados na cartela, também podem ser solicitados a qualquer hora do dia. Destaque entre as dicas mais recentes, o mini brunch burger (R$ 15,50), criação da chef Paula Prandini, reúne omelete fofinha com bacon, queijo meia cura e tomate no pão com gergelim. Outra aposta acertada, o ovo grego traz na panelinha seu ingrediente principal poché, com molho de tomate e especiarias, queijo de cabra, espinafre e tapenade (R$ 18,50). Das fornadas da chef Iona Rothstein chegam delícias como o pão de espelta (R$ 6,90, três fatias), feito com o grão integral importado e raro por aqui. Por último, mas não menos importante, o delicado croissant de chocolate belga (R$ 9,80) adoça a visita.

Continua após a publicidade

+ Veja onde ficam as melhores casas regionais do Rio

Espaço 7zero6: Visitantes do terraço, no 16º andar do Praia Ipanema Hotel, dividem as atenções entre o menu e as belezas naturais reveladas através das paredes de vidro. Paisagens da Praia de Ipanema e da Lagoa fazem parte da decoração. Neste cenário, a estrela do cardápio é o café boulanger (R$ 100,00), meio desjejum, meio brunch, servido das 8h às 14h. Pães artesanais chegam à mesa ao lado de frutas variadas, iogurte natural com coulis de frutas vermelhas, granola e frios, como presunto de Parma e salame italiano. Da cozinha partem omeletes, tartine de queijo meia-cura com gorgonzola e ovos mexidos com bacon e salsicha. Ao final, peça o pain perdu (rabanada à francesa) de doce de leite e chocolate. Para beber, há sucos naturais do dia, café coado com ou sem leite e chocolate quente. Expresso (R$ 8,00), cappuccino (R$ 15,00) e tapiocas com queijo de coalho ou Nutella (R$ 18,00) são cobrados à parte. Novidade de 2017, a carta de drinques assinada pelo consultor Alex Mesquita é um convite a estender o programa. Dica: é recomendável fazer reserva, já que o espaço costuma abrigar festas e eventos fechados.

comidinhas-3-variacoes-em-torno-do-cachorro-quente-cred-alex-torreao.jpeg
Maya Café também serve sanduíches Alex Torreão

Maya Café: Porto seguro em qualquer refeição do dia, o espaço em um canto sossegado de Laranjeiras é protegido da calçada por pequenos jardins. Em um salão menor, brinquedos infantis entre as mesas são um atrativo para famílias com crianças. Os combos de café da manhã, disputados nas primeiras horas dos fins de semana, mas servidos durante todo o horário de funcionamento, destacam-se pela variedade. O mais completo é o combinado maya café (R$ 69,90): cesta de pães australianos, ciabattas, broas de milho e croissants, frios, manteiga, geleia, cream cheese, frutas picadas, fatias de bolo, iogurtes, sucos e bebidas quentes. Para um almoço leve, a pedida é escolher uma das doze opções de salada — que caíram de preço em relação a 2016, de R$ 25,90 para R$ 18,90 — ou ainda um dos fornidos sanduíches. O CQ (R$ 23,90) traz carne assada desfiada no próprio molho com queijo derretido no pão australiano tostado. Para acompanhar, vão bem tanto a taça de vinho (R$ 15,90) quanto uma cerveja, como a Estrella Galicia 1906 Reserva Especial (R$ 12,90, 330 mililitros). Os trios de quindins ou rabanadas (R$ 8,90) são boa forma de adoçar qualquer percurso.

Otto Café: Aberta do café da manhã ao jantar, a casa faz parte da rede tijucana de negócios gastronômicos do empresário Ottmar Grunewald. Para o desjejum, aposte no combinado que traz café com leite ou café, suco de laranja, cesta de minipães, queijo prato, presunto, ovo mexido, fatia de bolo, geleia e manteiga (R$ 33,50, individual; R$ 64,00, para dois). Os waffles, hits dos fins de semana, podem ser cobertos de manteiga e mel (R$ 12,50) ou de sorvete com calda de chocolate (R$ 19,50). Entre as opções para beliscar figuram bruschettas de pão artesanal à moda clássica, ao pomodoro (R$ 23,50, quatro unidades), com tomate concassé. No horário seguinte, o almoço executivo exibe pratos a preços a partir de R$ 25,00. O churrasco misto, com corte bovino, linguiça, arroz, farofa brasileira e molho à campanha, sai por R$ 35,00.

Continua após a publicidade
Intetrior do Petit Formidable: misto de padaria, doceria e rotisseria Alexander Landau/Divulgação

Petit Formidable: Chef premiado, Pedro de Artagão inaugurou a minúscula padaria ao lado de seu endereço de cozinha francesa. Às mesas na calçada, somou-se o espaço do restaurante Formidable, que passou a abrir as portas de manhã: o menu de brunch ocupa o salão interno das 8h às 18h. Para começar, saem-se bem pedidas como o singelo brioche na chapa com manteiga (R$ 6,00) e o croque madame (R$ 32,00): duas fatias altas de brioche, queijo gruyère, bacon e molho bechamel, coroadas por ovo frito. O café simples é tirado como expresso (R$ 7,00 o pequeno; R$ 10,00 o grande), mas também há cappuccino (R$ 12,00). A partir do meio da manhã, é comum ouvir o tilintar de taças de champanhe puro ou misturado no drinque mimosa (R$ 46,00). A harmonização fica perfeita com ovos benedict (R$ 36,00), servidos com presunto e molho hollandaise no pão. Não faltam boas pedidas açucaradas, como os blinis de banana e Nutella (R$ 24,00) e o mil-folhas (R$ 18,00) montado na hora. O cheiro das fornadas, com os horários descritos em um quadro-negro, anuncia a chegada de baguetes clássicas (R$ 9,00 cada uma) e do tradicional pãozinho francês (R$ 16,00 o quilo).

Senhor Ca.: Negócio familiar fundado pelo expert em panificação Carlos Roberto de Souza e administrado por seu filho Matheus Mattos. Produzidos diariamente, baguetes, ciabattas, receitas integrais, multigrãos, australianos e fornadas de quinoa (R$ 2,90 a unidade) podem ser levados para casa ou saboreados em sanduíches — o croissant recheado de cream cheese (R$ 12,00 cada pedido) também vale a visita. A decoração protetora do salão e do deque coberto empresta sossego ao espaço, que fica em uma área movimentada, quase na esquina da Praia de Botafogo. O combinado mais simples reúne baguete, geleia, manteiga, queijo minas e uma bebida quente ou suco de laranja (R$ 19,90). Uma pedida para dividir traz cesta de pães, pasta de provolone, financiers, broinha de milho, bolo, frios, manteiga, cream cheese, geleia, duas bebidas quentes ou dois sucos de laranja (R$ 51,90). A ala dos sanduíches exibe um apetitoso recheio de pastrami, queijo gruyère e geleia de pimenta (R$ 20,00). Para distrair, o expresso gourmet (R$ 4,00) faz boa dupla com uma fatia de bolo de especiarias ou de cenoura com chocolate (R$ 5,50 cada sabor).

+ Confira os melhores lugares para beber um bom café

 Zona Zen: Padaria, delicatessen e restaurante, a casa é referência no bairro, com cardápio variado e varanda aconchegante. Podem-se comer na hora ou levar para casa os sanduíches, vendidos por peso, de acordo com a faixa de preço dos ingredientes utilizados. O zen (R$ 59,90 o quilo) é recheado de queijo de minas padrão, blanquet de peru e salada de rúcula e tomate. Outra boa escolha, o shiva (R$ 129,90 o quilo) reúne frios mais sofisticados: pode ser servido com presunto de Parma, queijo emmental e pasta de ervas finas, por exemplo. Carro-chefe dos salgados de balcão, o pão de cerveja (R$ 10,90 o pequeno, R$ 14,90 o grande) traz em seu interior camadas de queijo, presunto, tomate seco e azeitona. Para acompanhar o suco natural — laranja a R$ 8,90; a mistura de laranja com gengibre sai a R$ 10,40, em copos de 400 mililitros —, escolha entre os croissants de queijo com presunto e de peito de peru com catupiry (R$ 5,90 cada um). A pizza árabe de calabresa (R$ 4,90) é outro sucesso diário. Já os pães de queijo com sementes de linhaça (R$ 4,90 a unidade) só ganham as vitrines nos fins de semana.

Publicidade