Rock in Rio 2017: Vigilância Sanitária ataca novamente

Sócio do Laguiole, bufê do camarote vip, Jayme Drummond postou em suas redes sociais que também teve produtos descartados

Cerca de 10 quilos de tempero e mais 40 quilos de sanduíche foram parar no lixo

Cerca de 10 quilos de tempero e mais 40 quilos de sanduíche foram parar no lixo (Divulgação/Veja Rio)

Depois do desabafo da chef Roberta Sudbrack sobre a Vigilância Sanitária no Rock in Rio 2017, que descartou 80 quilos de queijo artesanal de seu estande, outra estrela da gastronomia carioca levantou a bandeira da mestre-cuca. Sócio do estrelado Laguiole, responsável pelo bufê do camarote vip do festival, Jayme Drummond se juntou à revolta civil contra o órgão sanitário.

Com direito à hashtag #somostodosrobertasudbrack, Drummond revelou em suas redes sociais que teve também teve prejuízo com a vigilância nesta edição. Na sexta (15), cerca de 10 quilos de tempero comprados na Casa Pedro foram parar no lixo. Segundo Drummond, estavam dentro do prazo de validade, conforme a etiqueta da foto. “A alegação foi de que não havia o CNPJ da Casa Pedro na embalagem. Qual o sentido da loja poder vender o produto ao consumidor e o mesmo não poder ser usado para produzir a comida?”, indagou.

O local é frequentado por celebridades como Angélica, Luciano Huck e Fátima Bernardes

O local é frequentado por celebridades como Angélica, Luciano Huck e Fátima Bernardes (Divulgação/Veja Rio)

Outros 40 quilos de sanduíche, recém-preparados, foram para o saco. As bandejas estariam sendo montadas para em seguida ganhar etiquetas manuais com prazo de validade. Não teve conversa. “Vocês não imaginam o vazio que dá no peito ao ver comida boa sendo descartada num mundo onde ainda existe tanta fome”.

Drummond lembrou ainda que o bufê do Laguiole já passou pelas exigências dos eventos olímpicos na Rússia, no Canadá e na Rio 2016, e que estará nos Jogos Olímpicos de Inverno na Coréia do Sul. “Passamos pelo crivo suíço e de muitos outros países, mas infelizmente não conseguimos passar pelos fiscais da vigilância sanitária carioca”.

O restaurateur finalizou: “São essas e outras situações que desencorajam o empresário a investir nessa cidade, mas sou guerreiro e vou seguir meu caminho. É preciso parar de baixar a cabeça e exigir que nossas autoridades e órgãos competentes mudem de postura”.

 (Facebook/Reprodução)

 (Facebook/Reprodução)

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s