Clique e assine por apenas 3,90/mês

Jovens talentos da MPB regravam icônico Acabou Chorare, dos Novos Baianos

Maria Gadú, Letrux, João Cavalcanti, Xênia França e Céu são alguns dos artistas que toparam a responsabilidade de modernizar canções célebres

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 2 out 2020, 13h11 - Publicado em 2 out 2020, 13h09

Os clássicos da música devem ficar num pedestal ou precisam ser revisitados de tempos em tempos, ganhando novas roupagens? Acreditando na segunda opção, a Globo e a Barry Company, com apoio da cervejaria Devassa, desenvolvram o projeto Replay, que vai regravar grandes discos da música brasileira na voz de jovens talentos.

+ Shopping Dowtown abre cinema ao ar livre com filmes cult

A primeira empreitada homenageia o grupo Novos Baianos – que em abril perdeu Moraes Moreira -, com a regravação do célebre álbum Acabou Chorare, lançado em 1972 pelo inventivo grupo que vivia em comunidade e misturava bossa-nova, rock e baião.

+ Teatro PetraGold reabre com 10% da capacidade total

As dez faixas do disco foram regravadas por Francisco El Hombre (Brasil Pandeiro); Onze:20 (Preta Pretinha); Céu (Tinindo Trincando); Gilsons (Swing de Campo Grande); Maria Gadú (Acabou Chorare); Marcelo Jeneci (Mistério do Planeta); Xenia França (A Menina Dança); João Cavalcanti – (Besta é Tu); Afrocidade (Um Bilhete pra Didi); Letrux + Iolly Amâncio (Preta Pretinha – reprise).

Continua após a publicidade
Francisco El Hombre: banda integra releitura do disco Acabou Chorare com versão de Brasil Pandeiro Ratão Diniz/Divulgação

+ Rio Montreux Jazz Festival terá edição on-line

O álbum completo já está disponível nas plataformas de streaming musicais. A cada sábado, um novo clipe será lançado. Uma ferramenta colaborativa vai permitir que fãs enviem vídeos cantando ou tocando músicas do álbum. As três melhores participações serão presenteadas com um vinil exclusivo do projeto.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

A produção audiovisual conduzida pela equipe da Barry Company foi realizada entre os dias 24 de agosto e 1º de setembro, no estúdio da Som Livre. Com os desafios impostos pela pandemia de Covid-19, a estratégia, inovadora, respeitou todas as orientações para manter a segurança das profissionais.

Continua após a publicidade
Publicidade