Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Bares e restaurantes cariocas poderão ocupar ainda mais as calçadas

Diante da crise, estabelecimentos podem deixar apenas 1,5m para pedestres, em horário estendido, e também ocupar vagas para automóveis

Por Carolina Barbosa Atualizado em 28 jan 2021, 12h40 - Publicado em 28 jan 2021, 12h39

A Prefeitura do Rio ampliou o horário e os dias da semana em que bares e restaurantes estão autorizados a instalar mesas e cadeiras em áreas externas, deixando um espaço menor na calçada para os pedestres. A partir de agora, a regra passa a incluir as quintas (até 31 de dezembro de 2020, a liberação valia apenas para fins de semana e vésperas de feriado). A justificativa, publicada no Diário Oficial, é de que o risco de propagação de Covid-19 em áreas abertas é menor.

+Liquidação: lojas do Rio oferecem até 80% de desconto

Nos fins de semana, as normas podem se estender até 2h. Também está autorizado ocupar vagas de estacionamento da CET-Rio com mesas e e cadeiras. As medidas vigoram até o fim do ano.

+Nasa renova parceria com Prefeitura do Rio para prever enchentes

Na medida da gestão do ex-prefeito Marcelo Crivella, em 2020, só seria possível alocar mesas e cadeiras em via pública se fossem deixados ao menos 2,5 metros de calçadas livres para pedestres e até 22h ou 23h, a depender do dia da semana. Agora, a distância caiu para 1,5 metro baseada numa lei do vereador Rafael Aloísio de Freitas (Solidariedade), aprovada no ano passado. Entre as mesas, o espaçamento poderá ficar em 1,5 ou dois metros – caso alguma área seja reclassificada como alto risco para o novo coronavírus, de acordo com os boletins da prefeitura. Há que se comprovar uma série de documentos para obter tal licença especial. Ainda assim, os proprietários devem começar a dar entrada nos pedidos a partir desta semana.

Continua após a publicidade

+Coronavírus: idosos já têm dia certo para vacinar; confira o calendário

A nova regra, claro, já causou polêmica entre as associações de moradores de diversas regiões e os empresários.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade