Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Réveillon: Paraty quer controlar excessos até em festas dentro de casa

Angra dos Reis lima day use para turistas, procissão marítima e cancela festas públicas

Por Carolina Barbosa Atualizado em 29 dez 2020, 13h41 - Publicado em 29 dez 2020, 13h33

Em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus e de tantas incertezas que rondam este fim de ano, as prefeituras de cidades da Região dos Lagos e da Costa Verde vêm apertando o cerco e adotando medidas mais restritivas às vésperas da virada. Queima de fogos e festas públicas foram suspensas. As determinações podem ir além. É o caso de Paraty, cuja prefeitura promete apertar a fiscalização para controlar excessos até mesmo em festas particulares.

+Novas medidas restritivas proíbem queima de fogos em toda a orla da cidade

Angra dos Reis, por exemplo, não terá a tradicional procissão marítima de 1º de janeiro. A fiscalização foi engrossando em meio ao cenário que aponta cinco das nove regiões de saúde fluminenses em bandeira vermelha.

+Réveillon: comércio com aglomeração durante a noite será multado

+Réveillon: Prefeitura fecha acesso de carros em toda a orla do Rio

Veja as restrições em cinco locais badalados do estado fluminense:

Angra dos Reis
Entre as ações válidas até 12 de janeiro, foi temporariamente suspenso o turismo “day use”. Barreiras de fiscalização serão implementadas em vias de acesso à cidade e nos cais de embarque para a Ilha Grande (haverá que se apresentar reserva de hospedagem ou contrato de locação de imóveis). Sem eventos oficiais na noite do dia 31 e sem procissão marítima no dia 1º. Festas que gerem aglomerações serão fiscalizadas.

Mangaratiba

Continua após a publicidade

No local onde aconteceu a festa na mansão de Neymar Jr., as medidas foram apertadas a partir desta terça (29) e vigoram até 4 de janeiro. Em decreto, a prefeitura cancelou as comemorações públicas e em espaços comerciais — inclusive em hotéis —  para evitar aglomerações e descumprimentos de regras sanitárias. Festas em casas particulares, no entanto, podem ser mantidas, o que gerou polêmica.

+ Réveillon de Neymar: dez curiosidades sobre as festas do jogador

Paraty
Na quinta (31), a partir das 17h, só poderão entrar na cidade turistas com hospedagem comprada e, para evitar aglomerações à beira-mar, não será permitida a contratação de embarcações. Barreiras impedirão o acesso de vans e ônibus de excursões. Prefeitura proibiu eventos, inclusive, os particulares, e vai manter fiscais nas ruas para coibir irregularidades e apertar o cerco em caso de excesso nas comemorações privadas. Nada de fogos nas praias também.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Búzios

Entre as medidas adotadas está uma barreira na entrada do município para verificar o ingresso dos turistas, que, por sua vez, têm de apresentar um QR code emitido previamente pelo meio de hospedagem. Todas as festas públicas por lá estão proibidas.

+ Búzios: prefeitura cancela quase 30 festas em cinco dias

Arraial do Cabo
Há uma barreira na entrada da cidade. O município cancelou eventos públicos de réveillon e notifica estabelecimentos, como bares e restaurantes, exigindo protocolos de prevenção ao novo coronavírus em celebrações particulares.

Continua após a publicidade
Publicidade