Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Plano para conter chuvas de verão é anunciado

Governo do Rio informou nesta quarta (15) os protocolos para ação que vai atender aos 92 municípios do estado

Por Agência Brasil Atualizado em 16 dez 2020, 11h32 - Publicado em 16 dez 2020, 11h28

O estado do Rio de Janeiro tem a partir desta quarta  (15) um Plano de Contingência para as Chuvas de Verão 2020/2021. O documento, com protocolos para ação integrada de diversas secretarias para responder a emergências causadas por chuvas intensas, foi lançado pelo governador em exercício Cláudio Castro.

Segundo Castro, após assumir o cargo, com o afastamento do governador Wilson Witzel, decidiu formar um grupo de trabalho com a intenção de propor ações para minimizar os efeitos das chuvas para a população. “Não temos controle sobre a quantidade de chuva que cairá, mas sabemos que no Rio de Janeiro há questões perenes, e uma delas é a chuva. Não tenho dúvida de que o estado está avançando na parte de planejamento, organização e logística”, disse Castro.

O plano, com vigência prevista de 12 meses, foi formulado em uma articulação com os 92 municípios do estado com base em extensa análise de cenários de risco, no monitoramento constante de dados meteorológicos, hidrológicos e geológicos e na gestão inteligente de recursos.

+Rio: Prefeitura cancela festas oficiais de Réveillon pela cidade

O secretário de estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, coronel Leandro Monteiro, disse que além de orientar o que deve ser feito, o Plano de Contingência determina a quem cabe cada estágio de emergência para resolver a situação e voltar ao estágio de normalidade, com menos impactos possíveis. De acordo com o secretário, as ações preveem a reativação de sirenes em locais de risco iminente.

“É parte fundamental da estratégia da Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec-RJ), para o período de chuvas, que também inclui o desenvolvimento de mapas que mostram os locais mais suscetíveis a ocorrências de movimentação de massas; a reativação de sirenes em localidades com risco iminente; a capacitação de agentes; e a criação de cadernos para orientar as prefeituras, por exemplo”, disse.

+Covid-19: Crivella tem que explicar à Justiça relaxamento de medidas 

Riscos

As áreas com maior probabilidade de deslizamentos no Rio de Janeiro foram mapeadas pela Defesa Civil com base em diversos dados dos últimos 20 anos. O estudo permite identificar possíveis ameaças e cenários críticos para cada mês do ano, conforme a sazonalidade, para embasar as decisões técnicas. Com o trabalho é possível também fazer uma estimativa da população atingida por esse tipo de evento em cada época do ano. Isso vai favorecer a gestão de desastres e as ações de prevenção.

Continua após a publicidade

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui 

Municípios

A Defesa Civil vai oferecer um modelo básico de Plano de Contingência para as prefeituras. Com isso, pretende tornar mais eficientes as respostas dos municípios às emergências. Cada município poderá informar as peculiaridades da sua localidade, para facilitar a condução das crises.

+Covid-19: Rio segue em ascensão de diagnósticos e mortes 

A Sedec-RJ também disponibilizará Cadernos de Recomendações para os gestores públicos municipais. Neles haverá sugestões de políticas públicas, ações e boas práticas para uma administração voltada para a redução de riscos de desastres. Na visão da Sedec, esse material vai auxiliar, principalmente, os recém-eleitos, sobre a utilização de estratégias de gestão desenvolvidas pela Defesa Civil para garantir mais resiliência para evitar situações críticas.

Hotsite

O governo fluminense criou um hotsite para facilitar a comunicação com a população e estimular a atuação articulada com os municípios. O canal, desenvolvido pelo Centro de Tecnologia de Informação e Comunicação.

 

Continua após a publicidade
Publicidade