Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Após quatro anos de ausência, bandeiras do Brasil voltam à Princesa Isabel

No local também foi instalada uma placa que traz detalhes sobre cada uma das 13 peças da coleção de lábaros que o país já teve desde 1.500

Por Paula Autran Atualizado em 17 dez 2021, 09h51 - Publicado em 17 dez 2021, 06h00

Uma aula de história tem como palco os 515 metros da Avenida Princesa Isabel, no limite entre Copacabana e Leme.

+ Mapa de Memórias: Rolé carioca cria ‘museu’ com vivências da cidade

Ali foi hasteada, após quatro anos de ausência, a coleção de treze bandeiras que o Brasil já teve — da atual (foto) até o lábaro português na época do descobrimento, com o escudo do país sobre a cruz vermelha, que vigorou nestas praias entre 1500 e 1521.

+ Feira de inovação traz simulação de viagem em transporte ultrarrápido

+ Fundo patrimonial criado por ex-alunos capta 10 milhões de reais para UFRJ

Continua após a publicidade

“Por sua localização e extensão, esse é o cenário ideal para que brasileiros e estrangeiros possam conhecer esse capítulo”, diz a secretária municipal de Conservação, Anna Laura Secco, que cuidou para que os mastros não ficassem mais vazios ou com farrapos tremulando ao vento, um de seus algozes. No local, também foi instalada uma placa que traz detalhes sobre cada desenho.

+ Next stop, Rio: agenda de shows internacionais ganha impulso pós-pandemia 

Em toda a cidade, a prefeitura cuida de mais de cinquenta bandeiras — não só a do Brasil, mas do estado e da cidade. Outros conjuntos podem ser vistos em pontos como o Monumento a Estácio de Sá, no Aterro do Flamengo, e o Aeroporto Santos Dumont.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade