Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Next stop, Rio: agenda de shows internacionais ganha impulso pós-pandemia

António Zambujo será um dos primeiros a chegar. Até setembro, quando o Rock in Rio trará dezenas de atrações de fora, virão nomes como A-Ha e Khalid

Por Paula Autran Atualizado em 17 dez 2021, 09h51 - Publicado em 17 dez 2021, 06h00

Após quase dois anos de pandemia, a agenda de shows internacionais começa a ganhar impulso novamente, com o Rio na rota dos astros da música.

+ Mapa de Memórias: Rolé carioca cria ‘museu’ com vivências da cidade

O português António Zambujo será um dos primeiros a chegar para dar expediente no Vivo Rio, em fevereiro. No novo Qualistage, ex-Metropolitan, são duas as atrações anunciadas: a-ha, em março, e Greta Van Fleet, em maio, fora três bandas de rock e pop rock já fechadas e mais duas em negociação.

+ Feira de inovação traz simulação de viagem em transporte ultrarrápido

+ Fundo patrimonial criado por ex-alunos capta 10 milhões de reais para UFRJ

Continua após a publicidade

O Jeunesse Arena vende ingressos para três apresentações: do britânico Louis Tomlinson, em maio; do americano Khalid, em junho; e do canadense Michael Bublé, em novembro. Sem contar o Rock in Rio, em setembro, com um menu musical que abrange de Guns N’ Roses e Coldplay a Iron Maiden, passando por Justin Bieber, Demi Lovato, Dua Lipa, Joss Stone e outros.

+ Após quatro anos de ausência, bandeiras do Brasil voltam à Princesa Isabel 

“A demanda reprimida é grande, mesmo com ingressos mais caros por causa da alta do dólar. Afinal, a experiência de ver um show ao vivo nunca será substituída por uma live”, aposta Bernardo Amaral, diretor do Qualistage.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade