Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Fundo patrimonial criado por ex-alunos capta 10 milhões de reais para UFRJ

Instituto Reditus reúne antigos estudantes de Engenharia, como Carlos Brito e Sidney Levy. Grupo já ajudou a financiar doze projetos

Por Paula Autran Atualizado em 17 dez 2021, 09h52 - Publicado em 17 dez 2021, 06h00

Dez milhões de reais foi o valor arrecadado em onze meses pelo Instituto Reditus, fundo patrimonial criado por ex-alunos de engenharia da UFRJ, como Carlos Brito, ex-CEO da AB InBev, e Sidney Levy, presidente do Conselho de Administração da Valid, para captar doações e investir em projetos de estudantes da universidade.

+ Mapa de Memórias: Rolé carioca cria ‘museu’ com vivências da cidade

+ Feira de inovação traz simulação de viagem em transporte ultrarrápido

O grupo já apoiou doze projetos, como um drone autônomo para patrulhar e coibir crimes ambientais, e uma plataforma de foguetes de sondagem atmosférica usada no transporte de experimentos embarcados.

+ Após quatro anos de ausência, bandeiras do Brasil voltam à Princesa Isabel 

+ Next stop, Rio: agenda de shows internacionais ganha impulso pós-pandemia 

Segundo Henrique Duarte, presidente da organização, “a iniciativa busca ajudar a formar ainda mais lideranças e talentos dentro da UFRJ”. Em latim, reditus quer dizer retribuição.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade