Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

A careta de Caetano Veloso, o cigarro de Tom Jobim e outros cliques que marcaram época

Organizado pelos jornalistas e pesquisadores Hugo Sukman e Rodrigo Alzugir, livro 'História da MPB em 100 imagens' traz raridades e imagens icônicas

Por Redação VEJA RIO Atualizado em 17 nov 2021, 01h09 - Publicado em 16 nov 2021, 16h27

Uma das imagens mais marcantes da carreira de Caetano Veloso traz o artista arregalando apenas um dos olhos. O clique de 1988, de autoria de Bob Wolfenson, é um dos registros célebres que se juntam a flagras menos conhecidos mas não menos importantes e raridades no livro História da música brasileira em 100 fotografias (ed. Bazar do Tempo, R$ 120).

+ Girls From Rio: Anitta e Giulia Be vão se apresentar no Grammy Latino

A música do país — e, por tabela, o próprio Brasil — tem sua história contada por imagens que marcaram época Organizado pelos jornalistas e pesquisadores Hugo Sukman e Rodrigo Alzuguir, a publicação traz cliques representativos dos diversos períodos de nossa música, com registros de de 1865 a 2015. Além de Wolfenson, o livro conta com imagens assinadas por nomes como Cafi, Indalécio Wanderley e Wilton Montenegro, entre outros.

Vinicius de Moraes acende o cigarro de Tom Jobim
Vinicius de Moraes: com Tom Jobim em foto famosa Pedro de Moraes/Divulgação

+ Desce a cerveja: Zeca Pagodinho inaugura mais duas filiais de seu bar

Continua após a publicidade

Organizados em ordem cronológica, os registros vêm acompanhados por pequenos textos, escritos pelos curadores e outros autores, que contextualizam as fotografias na história da música e do país. Os primórdios do samba no Rio de Janeiro, Carmen Miranda, a bossa nova, o surgimento dos trios elétricos em Salvador, o Clube da Esquina, entre outros momentos, fazem parte da publicação.

+ “É importante resgatar nossos personagens”, diz Seu Jorge, sobre Pixinguinha e Marighella Leia

As matrizes sonoras da música brasileira também estão representadas por dois músicos negros escravizados com tambores de origem africana e nos instrumentos de sopro indígenas, em uma imagem de botocudos que vivem às margens do Rio Doce, no Espírito Santo. A última foto é de Elza Soares em clique de Steph Munnier, em 2015.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade