Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

No clima do Oscar: festivais de cinema para conferir sem sair de casa

Canal Brasil homenageia o Festival do Rio com clássicos nacionais e Kinolab privilegia produções da periferia

Por Marcela Capobianco 22 abr 2021, 12h21

Às vésperas da premiação de cinema mais importante do mundo, o consumo de filmes – principalmente dos que estão no páreo para ganhar a estatueta – aumenta vertiginosamente. No entanto, sempre há tempo de assistir a filmes lado B.

Com a pandemia, muitos festivais migraram para as plataformas on-line e é possível assistir a pérolas sem sair de casa. O Canal Brasil, por exemplo, homenageia o Festival do Rio com uma programação especial até o dia 30 de abril.

+ Cinco peças de teatro on-line que flertam com o cinema

De terça a sexta, sempre à 0h30, o canal exibe uma obra que levou para casa o sonhado Troféu Redentor, seja vencendo pela categoria de melhor filme, seja pelos júris oficial ou popular.

Entre os filmes que serão exibidos estão Estômago, de Marcos Jorge, lançado em 2007. Na história, Raimundo Nonato é um nordestino que descobriu por acaso um talento especial para a culinária. Tudo vai bem até que uma traição muda totalmente os rumos de sua vida, levando-o a lugares inimagináveis. Melhor filme pelo júri popular, ator, diretor, e prêmio especial do júri. A exibição acontece na madrugada de 30 de abril para 1º de maio.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Na madrugada desta quinta (22) para sexta (23), será exibido Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor, que chegou às telonas em 2019. Daniel de Oliveira interpreta Rubens, um professor de natação infantil acusado de beijar um de seus alunos. Quando a questão viraliza nos grupos e redes sociais da escola, começa um julgamento precipitado sobre suas intenções. Melhor filme pelo júri popular, ator, ator coadjuvante e roteiro no Festival do Rio.

Continua após a publicidade

Também integram o especial da emissora paga longas como O Céu de Suely, de Karim Aïnouz (2006), Tinta Bruta, de Filipe Matzembacher, Marcio Reolon (2018) e Sangue Azul, de Lírio Ferreira (2014).

+ As novidades do cinema e do streaming

Kinolab Tela Digital

Até domingo (25), o Kinolab Tela Digital privilegia produções cinematográficas de pessoas egressas de comunidades periféricas, cidades pequenas do interior do Brasil e aldeias indígenas. A programação é gratuita e é composta também por quatro webinars que discutem temas como promoção e gestão de projetos de baixo orçamento, audiovisual e engajamento, e iniciativas de produção audiovisual coletiva, com nomes como Asaph Luccas, Cavi Borges, Graciela Guarani e Jacson Dias. A programação completa pode ser consultada no site.

+ Seis restaurantes recém-chegados ao delivery. E o que pedir em cada um deles

Foram selecionadas vinte produções finalizadas em 2020 e 2021, representando os estados da Bahia, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. As obras ficam disponíveis no site do festival. A pandemia, é claro, aparece como tema central de diversos curtas.

Os filmes concorrem a uma premiação de R$3.000,00 para até três destaques do evento, escolhidos entre os filmes, cineastas, atores ou iniciativas audiovisuais coletivas.

Continua após a publicidade
Publicidade