Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Fernanda Abreu comemora 30 anos de carreira com disco de remixes

Álbum revisita sucessos que marcaram época, em parcerias com Emicida, Projota, Corello, Dennis Dj, Gui Boratto, entre outros

Por Marcela Capobianco 16 set 2021, 12h02

Ela tem 60 anos de idade, mais da metade deles dedicados à carreira solo e mantém a atitude cool e o frescor de quem vive descobrindo coisas novas.

Fernanda Abreu estourou numa época em que o Brasil estava imerso no sertanejo e na lambada. Seu primeiro disco, SLA Radical Dance Disco Club, trazia um clima de boate, com muitos samples e batidas eletrônicas, um estilo até então inédito no país.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

De lá para cá, a carioca se tornou a rainha da dance, do funk, da música black de baile e, principalmente, dos DJs.

Essa relação frutífera com quem comanda as carrapetas é celebrada no disco de remixes Fernanda Abreu: 30 Anos de Baile, que acaba de chegar às plataformas de streaming.

+ Onde será obrigatório mostrar carteirinha de imunização

A lista de convidados é eclética e traduz o panorama da pista de dança hoje no Brasil, passeando do funk ao trap, da house ao techno, do rap ao electro, representados por nomes da atual geração, como Vintage Culture, Gui Boratto, Bruno Be, Tropkillaz, Fancy Inc.

Continua após a publicidade

Nomes que ajudaram a erguer as paredes dos bailes, como Corello DJ, Zé Pedro, Dennis DJ e Memê, este último encarregado de fazer a direção artística do álbum, também não ficaram de fora.

+ Nos EUA, Anitta faz história em premiação e clama por vacina

O disco também conta com as participações especialíssimas dos rappers Emicida e Projota.

Entre as faixas que ganharam novas roupagens estão clássicos da discografia de Fernanda Abreu, como Jorge da Capadócia (que ganhou remix de Gui Boratto), Kátia Flávia, A Godiva de Irajá (em versão de Bruno Be) e Veneno da Lata (revisitado por Tropkillaz), por exemplo.

Já a canções Você Pra Mim foi regravada com Projota e remixada por Dennis DJ. Outro Sim foi repaginada por Ruxell, com vocais de Emicida.

+ Cultura resiste: ArtRio leva 15 000 pessoas à Marina da Glória

“Desde o lançamento do meu primeiro disco, em 1990, eu recebo o carinho e o entusiasmo dos DJs com meu som. Trinta anos depois, ainda é muito prazeroso celebrar essa parceria, homenageando essa cena que amo tanto e fortalecendo ainda mais essa parceria nas pistas, nas festas e nos bailes”, afirma a cantora.

Continua após a publicidade
Publicidade