Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

AquaRio recebe exposição sobre biodiversidade das Ilhas Cagarras

Mostra do projeto Ilhas do Rio reúne fotos e vídeos inéditos da fauna e flora do local, que fica a apenas 5 quilômetros da Praia de Ipanema

Por Marcela Capobianco 19 jan 2021, 12h47

Além das milhares de espécies marinhas presentes no Aquário Marinho do Rio, os cariocas e turistas que passarem pelo espaço a partir desta quarta (20), poderão conferir a exposição Biodiversidade do Monumento Natural das Ilhas Cagarras.

A mostra, promovida pelo projeto Ilhas do Rio, reúne fotos e vídeos exclusivos da fauna e da flora do local, em que funciona a primeira Unidade de Conservação marinha de proteção integral da cidade do Rio de Janeiro, distante apenas cinco quilômetros da orla de Ipanema.

+ Exposição no CCBB revista obra de artista japonesa ChiharuShiota

O acervo conta com cerca de 50 imagens tiradas durante o trabalho de campo dos pesquisadores e colaboradores do Projeto Ilhas do Rio, que desde 2011 faz um levantamento minucioso de animais e plantas que habitam a região, formada por quatro ilhas – Ilhas Cagarra, Redonda, Comprida e das Palmas – e duas ilhotas – Filhote da Cagarra e Filhote da Redonda.

peixe multicolorido no fundo do mar
Coió ou falso-voador: criatura multicolorida faz parte da exposição sobre a biodiversidade das Ilhas Cagarras Áthila Bertoncini/Divulgação

+ Mangueira ocupa o MAM com oficinas paralelas a homenagem a Hélio Oiticica

“Apesar da pandemia, conseguimos dar continuidade às atividades do projeto. Agora, vamos enfrentar o desafio de mostrar ao público a rica biodiversidade das Ilhas do Rio, de forma segura, seguindo todos os protocolos de proteção da OMS,” comenta Clerio Aguiar, coordenador geral do projeto Ilhas do Rio.

Através dos registros é possível observar detalhes de espécies raras ou até mesmo ameaçadas de extinção e conferir cliques de ilustres visitantes, como baleias, tartarugas e golfinhos. É lá também que mais de 5 mil fragatas fazem seus ninhos e criam seus filhotes, número que coloca a Ilha Redonda como um dos maiores ninhais de fragatas do Atlântico Sul. Suas florestas guardam remanescentes da Mata Atlântica, onde o projeto já registrou mais de 150 espécies de árvores a ervas.

Continua após a publicidade

+ Nova versão de Pinóquio chega aos cinemas nesta quinta (21)

A exposição também conta com uma área dedicada aos sons que os animais emitem para reconhecer indivíduos e seu próprio grupo. Por meio da vocalização, os animais se comunicam e expressam comportamentos sociais, como os rituais de acasalamento, cuidados com os jovens e defesa de território. Com a atividade sonora, o público poderá ouvir a biodiversidade das Ilhas Cagarras e compreender a importância da vocalização da natureza.

Uma seleção de curtas-metragens apresentam as principais linhas de pesquisas realizadas pelo projeto ao longo da última década, entre elas, duas iniciadas em 2020: tartarugas marinhas e mamíferos terrestres.

+ Shopping na Barra se transforma em Parque de Dinossauros drive-in

A exposição ficará no AquaRio até 12 de março.

Os ingressos para moradores saem a R$59,99, enquanto para turistas brasileiros o passe custa R$89,99.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Praça Muhammad Ali, Gamboa (em frente aos Armazéns 7 e 8 do Porto do Rio). Segunda a sexta, 10h/17h. Fins de semana, 9h/19h (até 31 de janeiro). A entrada no circuito é feita até as 18h.

Continua após a publicidade
Publicidade