Clique e assine com até 65% de desconto

Analu Prestes: “Teatro depende da presença, experiências on-line são uma nova arte”

Atriz está em cartaz com o espetáculo Lá Fora, Temporal, transmitido pela web. Embora divida o palco com Ary Coslov, os atores contracenam só com as câmeras

Por Marcela Capobianco 13 nov 2020, 16h27

A discussão é longa. Teatro transmitido pela internet é ou não é teatro? Para a atriz Analu Prestes, está surgindo uma nova forma de expressão, derivada, é claro, da experiência teatral, mas também do cinema.

No entanto, Analu concorda com os colegas que já se aventuraram pela (única) forma de fazer teatro na pandemia: o importante é estar em cena em um momento tão delicado. Neste mês de novembro, ela tem dividido o palco do Teatro PetraGold, no Leblon, com Ary Coslov, no espetáculo Lá Fora, Temporal.

+ Festival de Gim terá tendinhas para grupo e curadoria musical do Queremos!

“Já tínhamos feito algumas leituras da peça, nos tempos pré-pandemia, e resolvemos adaptar para um formato transmitido ao vivo pela internet. O texto é sombrio, cheio de pausas. Eu não olho para o Ary no palco, e nem ele olha para mim. Foi estranho no começo, mas agora já entendemos que estamos inseridos num novo tipo de arte, que ainda tem muito a ser descoberto”, analisa a atriz, de 68 anos, que em 2019 recebeu os principais prêmios teatrais do país pelo trabalho em As Crianças, texto de Lucy Kirkwood cuja bem-sucedida montagem foi dirigida por Rodrigo Portella.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Com texto de Marcelo Aquino e direção de Cássia Villasbôas, Lá Fora, Temporal funciona como um jogo de revelações que mostra o quanto podemos ser traídos pela própria memória. Oscar (Coslov) está solitário e preso ao universo particular que construiu com todo tipo de objetos acumulados ao longo de anos. Numa noite de chuva forte, a inusitada visita de uma mulher o leva a revisitar um passado turvo em suas lembranças, misturando realidade e ficção e passado e presente.

+ Festival on-line da Orquestra Petrobras Sinfônica vai de Villa-Lobos a Metallica

Cássia convidou Fabrício Tadeu, que assinou a fotografia de filmes nacionais como O Som Ao Redor, Aquarius e O Matador, para explorar ao máximo os efeitos visuais da transmissão. O espetáculo também conta com projeções gráficas.

“A equipe toda trabalha quase de graça, apenas pelo prazer de estar na ativa, colocando a cabeça para funcionar durante a pandemia”, arrebata Analu, que garante que As Crianças voltará em breve, assim que os teatros puderem receber o público em segurança.

+ Maria Ribeiro: “Descancelando 2020”

Lá Fora, Temporal. Quartas (18 e 25 de novembro), 17h. R$ 10,00. Ingressos e transmissão pela Sympla.

Continua após a publicidade
Publicidade