Clique e assine por apenas 3,90/mês

A cachaça se destaca em drinques que vão muito além da caipirinha

Valorizada mundialmente, a bebida vem ganhando cada vez mais espaço nas cartas de bares do Rio

Por Carolina Barbosa - Atualizado em 16 out 2020, 13h50 - Publicado em 16 out 2020, 06h00

Produzida a partir da destilação da cana-de-açúcar, a cachaça, valorizada mundialmente no preparo de drinques clássicos como a caipirinha, vem ganhando cada vez mais destaque nos balcões da cidade. No Arp (Rua Francisco Otaviano, 177, Arpoador, ☎ 3600-4000), a carta de coquetéis traz o clementina (R$ 32,00), com a bebida envelhecida, tangerina, limão e açúcar.

+ Três novos bares especializados em cervejas artesanais abrem as portas

+Cinco comes e bebes que você deveria provar no novo Boxx

Sucesso na Casa Camolese (Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, ☎ 3514-8200), o caju brother (R$ 29,00; foto), é preparado com cachaça da casa, limão e trilogia de caju (compota, suco e castanha). O gastrobar Caju (Praça Demétrio Ribeiro, 97, loja C, Copacabana, ☎ 3264-3713) serve o paixão do engenho (R$ 28,00), feito com o rótulo Sete Engenhos Prata, limão, xarope de marshmallow, redução de maracujá, tônica e finalizado com espuma de limonada suíça.

+ Anuncie em VEJA RIO COMER&BEBER 2020

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade