Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Vinoteca Por Marcelo Copello, jornalista e especialista em vinhos Marcelo Copello dá dicas sobre vinhos

Tio “Samvignon”?

Por Marcelo Copello  Com forte influência da região francesa de Bourdeaux, os vinhos californianos reúnem ótimos exemplares de Cabernet Sauvignon. A Califórnia, com cerca de 26 mil hectares, perde apenas para Bordeaux em área plantada de Cabernet Sauvignon (CS). No quesito qualidade, pode-se dizer o mesmo. Depois de Bordeaux, a Califórnia é a região que […]

Por marcelo Atualizado em 25 fev 2017, 18h02 - Publicado em 24 jun 2015, 19h06

Por Marcelo Copello

 Com forte influência da região francesa de Bourdeaux, os vinhos californianos reúnem ótimos exemplares de Cabernet Sauvignon.

Foto capa

A Califórnia, com cerca de 26 mil hectares, perde apenas para Bordeaux em área plantada de Cabernet Sauvignon (CS). No quesito qualidade, pode-se dizer o mesmo. Depois de Bordeaux, a Califórnia é a região que reúne a maior coleção de CS de altíssima qualidade (e altíssimo preço). A influência francesa na enologia norte-americana é evidente. O padrão é, principalmente, Bordeaux, buscando emular o estilo gaulês nos mínimos detalhes. O Napa Valley é a região principal para CS, mas Sonoma, principalmente no Alexander Valley, também gera ótimos exemplares – assim como outras novas regiões, como Mendocino e Paso Robles. No resto do país, esta tinta está sempre presente, embora com menor expressão, como nos estados de Washington, Oregon, Texas e Arizona – e, geralmente, os vinhos são mais alcoólicos, frutados e madeirados. Infelizmente, a presença dos bons californianos ainda é muito pequena no Brasil. Fizemos uma prova de alguns bons Cabernets e cortes bordaleses da terra do Tio Sam.

*Preços podem variar

Stewart Cabernet Sauvignon 2007, Napa Valley (Vinos e Vinos, vinosevinos.com.br, R$489,00)

Feito pelo craque enólogo Paul Hobbs. 100% Cabernet Sauvignon, com 22 meses em carvalho francês (65% novo). Rubi violáceo muito escuro. Aroma intenso e focado nas frutas negras, com muitas especiarias de (bem integrada) madeira, baunilha, cravo, canela, rico e com boa profundidade. Paladar encorpado, complexo, taninos finos, doces, e ainda um pouco presentes, 14,5% de álcool, acidez equilibrada, longo e para mais cinco/dez anos de guarda. Belo representante dos Cabernets Sauvignon de Napa, ótima tipicidade da casta e da região.

1

Nota 95 pontos

Merryvale Cabernet Sauvignon 2007, Napa Valley (Vinos e Vinos, vinosevinos.com.br, R$ 575,00)

99% Cabernet Sauvignon, 1% Cabernet Franc, com 19 meses em carvalho francês (70% novo). Cor rubi violácea escuro. Aroma de boa intensidade, elegante, com fruta muito limpa, cerejas, amoras, madeira muito bem colocada, alcaçuz, baunilha, chocolate, defumados, mentol. Paladar macio e de bom corpo, sem excessos, com taninos doces e muito finos,14,5% de álcool, longo e equilibrado. Ao mesmo tempo tem qualidade e finesse e é muito fácil de beber, delicioso.

2

Nota 94 pontos

 Ironstone Meritage 2006, Kautz Family, Calaveras County-CA (Porto a Porto, portoaporto.com.br ,R$ 239)

Elaborado com 80% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot e 10% Petit Verdot. Rubi escuro violáceo. Aroma de madeira e geleias de frutas negras como ameixa e amora, baunilha, coco queimado, couro, café, nota balsâmica de mentol. Paladar encorpado e denso, com bom meio de boca, taninos doces, acidez correta, 14,5% de álcool, no melhor estilo de “bordeaux” californiano.

Continua após a publicidade

3

Nota: 92 pontos

19 block cuvée 2007, Hess Collection, Napa Valley (Decanter, decanter.com.br, R$ 183,45)

Um corte ousado, com 74% Cabernet Sauvignon, 17% Malbec, 4% Syrah, 4% Merlot, 1% Petit Verdot, com 16 meses em barricas de carvalho francês (50% novas). Rubi escuro violáceo. Aroma frutas negras, cassis, menta, especiarias, baunilha, alcaçuz, pimenta- do-reino, terra molhada, cedro. Paladar de médio – bom corpo, bem equilibrado, boa estrutura de taninos doces e macios, longo.

4

Nota 89 pontos

Cabernet Sauvignon 2010, Robert Mondavi, Napa Valley (Interfood, interfood.com.br, R$129,90)

Rubi escuro violáceo. Aroma frutado com madeira bem casada, cassis, menta, baunilha, pimenta-do-reino. Paladar de médio-bom corpo, taninos doces, ainda presentes, acidez correta, perfil macio e fácil de beber.

5

Nota 88 pontos

Charles Wetmore Cabernet Sauvignon 2009, Wente, Livermore Valley (Vinhos do Mundo, vinhosdomundo.com.br, R$ 118,80)

Rubi entre claro e escuro, com reflexos granada. Aroma de médio ataque, com notas de musgo, especiarias picantes, frutas maduras. Paladar de médio corpo, falta um pouco de estrutura, mas é bem equilibrado, com acidez moderada, taninos macios e prontos. Estilo bem Bordeaux.

6

Nota 86 pontos

Marcelo Copello (mc@marcelocopello.com)

Continua após a publicidade

Publicidade