Clique e assine com até 65% de desconto

Alerj rejeita proposta que permitiria fábricas de armas no estado

Debate no plenário foi intenso e durou quase duas horas; novo projeto sobre o tema não pode ser novamente apresentado na Casa por um ano

Por Cleo Guimarães Atualizado em 13 ago 2020, 18h31 - Publicado em 13 ago 2020, 18h27

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) rejeitou, nesta quarta (12), um projeto de emenda constitucional que permitiria a instalação de fábricas de armas de fogo no estado. A proposta, do deputado Alexandre Freitas (Novo), pretendia revogar um artigo da Constituição Estadual que proíbe o governo e as prefeituras de autorizarem o funcionamento dessas indústrias.

Coronavírus: ‘Cercadinho nas praias virou piada’, diz ex-ministro da Saúde

O debate sobre a proposta no plenário foi intenso e durou quase duas horas. Para o autor do projeto, a medida atrairia investimentos ao estado. “Não podemos nos dar ao luxo de rejeitar um centavo sequer de quem quer vir ao estado gerar emprego”, disse Freitas.

Fundador do Petisco da Vila, Manoel Sousa morre aos 73 anos

Já a deputada Renata Souza (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos, considera que a instalação de fábricas de armas de fogo poderia aumentar os índices de violência no estado. “Só em maio deste ano foram vendidos um milhão de cartuchos de armas no varejo no Brasil. Mas não houve aumento de empregos no país. O que há é um maior número de assassinatos, feminicídios. Mais de 70% dos homicídios brasileiros são por arma de fogo”, afirmou.

‘Estou consultando a população’, diz Crivella sobre loteamento da praia

Com 34 votos contra e 27 a favor, a PEC estadual será arquivada, e um novo projeto sobre o tema não poderá ser apresentado na Casa por um ano.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

Continua após a publicidade
Publicidade