Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Agora vai? Câmara do Rio vai votar possível reabertura do Canecão

Projeto de lei encaminhado pela Prefeitura do Rio pretende regularizar o zoneamento urbano na área para viabilizar o funcionamento

Por Luiza Maia 11 ago 2021, 16h47

Fechado há onze anos, o Canecão recebe um novo incentivo para reabrir as portas. A Prefeitura do Rio encaminhou à Câmara de Vereadores um projeto de lei para regularizar o zoneamento urbano da área e permitir o funcionamento da tradicional casa de espetáculos.

+ Novo point na orla: Belmonte inaugura na Vieira Souto; veja como ficou

Uma restrição na lei de zoneamento municipal datada de 1976 proíbe erguer estabelecimentos de diversão no endereço, em Botafogo. Portanto, o Canecão funcionou por mais de quarenta anos de forma irregular.

A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano explica que a legislação atual estabelece que o campus da UFRJ só pode abrigar uma construção com altura de 20 metros a partir do nível do mar. A proposta da prefeitura, então, não consideraria o nível do mar, numa tentativa de regularizar a situação, autorizando o funcionamento da casa de espetáculos.

“Como o terreno já fica num terreno mais alto, qualquer construção ali ficaria limitada, inviabilizando o espaço cultural no local”, explica a pasta em nota.

De acordo com o projeto de lei, o prédio administrado pela UFRJ poderá ter uma altura máxima de 20 metros e será proibido de oferecer vagas de estacionamento ao público. O embarque e desembarque no local também não poderá causar prejuízo à circulação nas vias do entorno.

+Repaginada, Casa Villarino reabre nesta quarta (11) com novidades

Continua após a publicidade

O texto seguirá para análise de diferentes comissões antes de seguir para a votação em plenário.

Em abril deste ano, uma proposta para revitalização da casa por meio de uma parceria entre a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e a UFRJ não avançou. Com onze emendas recebidas pelos deputados, o texto previa a edição de uma norma específica para autorizar a transferência dos recursos do Fundo Especial da Alerj para o Canecão.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Inaugurado em 1967 como uma cervejaria, o espaço começou a receber shows, dois anos depois. Testemunha da história da música brasileira, a casa de espetáculos recebeu grande nomes da cultura, como Chico Buarque, Tom Jobim, Marisa Monte e Cazuza. Em 2010, o edifício foi fechado após os antigos dirigentes perderem uma ação judicial que durou 40 anos.

Antes da pandemia, uma análise realizada pelo BNDES previa a reabertura do espaço como um equipamento cultural multiuso para cerca de 1 500 pessoas. O estudo considerou também a possibilidade de parcerias entre ONGs e empresas para o uso do terreno e outras construções da universidade.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 12,90/mês