Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Fiocruz: boletim mostra leve queda em ocupação de leitos de Covid no Rio

O estado apresentou redução no indicador de 72% para 66%, o que agora o coloca na zona de alerta intermediário. Capital ainda permanece em estado crítico

Por Carolina Barbosa Atualizado em 9 set 2021, 12h55 - Publicado em 9 set 2021, 12h53

Publicada nesta quarta (8), a edição extraordinária do Boletim Observatório Covid-19 Fiocruz revela que o cenário de melhora nas taxas de ocupação de leitos de UTI para adultos no SUS persiste, com mais de 90% das unidades da Federação e 85% das capitais estando fora da zona de alerta, com indicadores abaixo de 60%. Neste contexto, apesar de ser uma exceção, o Rio de Janeiro apresentou queda no indicador de 72% para 66%, o que agora o coloca na zona de alerta intermediário. 

+Covid: Prefeitura libera torcedores em três jogos do Flamengo no Maracanã

Segundo pesquisadores da instituição, esse dado é um reflexo da tendência geral de diminuição da incidência de casos graves, internações e mortes por Covid-19. “A redução simultânea e proporcional desses indicadores demonstra que a campanha de vacinação está atingindo o objetivo de proteger a população do impacto da doença. No entanto, o ainda alto índice de positividade dos testes e a elevada taxa de letalidade da doença (atualmente em 3%) revela que a transmissão do vírus é intensa e diversos casos assintomáticos ou não confirmados podem estar ocorrendo, sem registro nos sistemas de informação”, ressaltam.

+Bichinhos por toda parte: Lagoa pode ganhar bioparque público

Roraima e Rio de Janeiro são os únicos dois estados brasileiros com taxas de ocupação no SUS superiores a 60%: 22 capitais estão fora da zona de alerta. As cidades do Rio (94%) e de Boa Vista (82%) permanecem na zona de alerta crítico.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade