Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Coronavírus: site colaborativo vira guia para os ‘sommeliers de vacina’

Criada para informar sobre a imunização, plataforma vem sendo usada como fonte de consulta por quem busca vacinas específicas

Por Da Redação Atualizado em 8 jul 2021, 13h55 - Publicado em 8 jul 2021, 12h48

Criado há cerca de dois meses, o site Onde Tem Vacina se apresenta como “uma plataforma colaborativa gratuita, que oferece uma ferramenta de busca por postos de vacinação contra COVID-19 e permite que a população participe do processo, informando, em tempo real, a situação da vacinação em sua cidade”. De fato, cumpre o que promete – tanto que venceu o concurso nacional de projetos digitais da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde.

Covid-19: mais de 63% dos cariocas já tomaram ao menos uma dose da vacina

Mas como uma das funcionalidades disponíveis no site está a possibilidade de localizar um posto de saúde de acordo com o fabricante da vacina, usuários têm recorrido à página para se guiarem na hora de sair de casa para se imunizar. Vão aonde estiverem sendo aplicadas suas “favoritas” – Janssen e Pfizer aparecem como as mais disputadas.

Xuxa vai à Justiça contra político que a chamou de ‘assediadora de menor’

O site traz dados públicos e permite que a população participe do processo, postando, em tempo real, informações como o local onde se imunizou, se há filas e – touché – qual a vacina está sendo aplicada. “Primeira dose Janssen. Quando acabar será Pfizer”, anunciou  às 11:57 desta quinta (8), um usuário que foi à Casa Firjan, em Botafogo.

Covid-19: Fiocruz desenvolve teste rápido e três vezes mais barato

Continua após a publicidade

Com tantos comentários focados neste tipo de informação, a plataforma passou a exibir um banner em que pede a colaboração dos cidadãos e, com sutileza, passa o recado:  “Vacina boa é vacina no braço!”. Este, aliás, tem sido o mantra do prefeito Eduardo Paes, que vem buscando maneiras de combater quem tenta escolher marca de imunizante.

Caiu a ficha: Marina Ruy Barbosa desabafa sobre festa; ‘Não sou perfeita’

Dados da secretaria de Saúde mostraram que muita gente, descontente com a vacina oferecida, estava deixando para se vacinar aos sábados, na repescagem, para ter uma segunda chance de acessar o imunizante que considera melhor. Paes não curtiu. “Dependendo de como essa coisa continuar caminhando, há uma chance grande de a gente acabar com a repescagem, e quem não se vacinar no seu dia vai ser o último da fila. Quando crianças de 12 anos estiverem vacinadas, aí sim, vai receber sua vacina”, ameaçou.

Pandemia agrava o número de pessoas em situação de rua no Rio

O incômodo com os sommeliers de vacina levou a página oficial da prefeitura no Instagram a postar um recado bem humorado nesta quarta (7): “Algumas vacinas que você tomou ao longo da vida: BCG, tríplica bacteriana, poliomelite, influenza, HPV, varicela (catapora), difteria, tétano, hepatites A e B. Sabe a marca de alguma delas? Então, resolveu escolher vacina agora por quê, alecrim dourado? Vacina boa é vacina no braço”.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade