Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Concurso vai eleger projeto arquitetônico de novo museu da Marinha no Rio

O Museu Marítimo será instalado às margens da Orla Conde, na área em que abriga o Espaço Cultural da Marinha, no trajeto da Orla Conde

Por Carolina Barbosa 7 jun 2021, 13h06

O Centro do Rio ganhará um novo equipamento cultural dedicado a sua relação com o mar. Trata-se do futuro Museu Marítimo do Brasil, cujo projeto arquitetônico será definido em concurso, que será erguido no Espaço Cultural da Marinha, no trajeto da Orla Conde, próximo à Igreja da Candelária e à Praça XV.

+Jardim Botânico ganha mirante com vista privilegiada para o cactário

O novo espaço, que se juntará a um corredor cultural com representantes como o Museu do Amanhã e o Museu Histórico Nacional, abrigará parte da história marítima tão intrinsecamente ligada à formação do país

Realizado pelo Departamento Cultural do Abrigo do Marinheiro (DCAMN), em parceria com a Marinha do Brasil, e pelo Departamento do Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/RJ), o concurso receberá inscrições desta quinta (10) até o dia 23 de julho, em um portal a ser divulgado pelo IAB/RJ.

+Covid-19: população de Paquetá será cobaia para estudo de vacinação

Por meio do concurso de projeto, o objetivo é obter uma proposta arquitetônica inovadora que afirme a excelência da arquitetura contemporânea brasileira e agregue valor tanto à instituição quanto ao entorno urbano onde ela estará inserida. Além do museu, estão previstos um auditório, um restaurante e uma cafeteria, disponíveis para visitantes e para a população em geral.

Continua após a publicidade

O prédio será instalado no píer do Espaço Cultural da Marinha, onde no século XIX funcionou a Doca da Alfândega. Desde 2017, a área recebeu reforços estruturais. A construção existente no local, erguida em 1996, deve ser demolida.

+Samba do Trabalhador volta a ocupar o Clube Renascença às segundas

“O Rio terá uma nova joia. E, evidentemente, o mar é a figura mais importante do seu entorno, de modo que uma das exigências é que, a partir do prédio do museu, você tenha uma plataforma para olhá-lo. Vamos desenvolver a consciência marítima que caracteriza a nossa história”, celebra o vice-almirante José Carlos Mathias, à frente da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha.

Com o concurso, um outro objetivo é estimular é valorizar um local de importância histórica e estimular a reflexão sobre qual deve ser a cidade do futuro. “Estamos ansiosos para ver como os participantes atuarão diante das diretrizes do concurso. Certamente será um espaço de qualidade, que pode se tornar mais uma obra paradigmática na cidade”, complementa o arquiteto Fernando Janot, coordenador-geral da iniciativa.

A expectativa é de que o museu seja aberto em 2025.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade