Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Vinoteca Por Marcelo Copello, jornalista e especialista em vinhos Marcelo Copello dá dicas sobre vinhos

O inverno do vinho brasileiro

A estação mais fria está aparecendo ali na esquina e todos já começam a pensar (ainda mais) em vinho. Mas qual a maior tendência para esta estação?

Por Marcelo Copello Atualizado em 18 Maio 2021, 14h44 - Publicado em 17 Maio 2021, 17h00

O inverno já está aparecendo ali na esquina e todos já começam a pensar (ainda mais) em vinho. Mas qual a maior tendência para esta estação? Os vinhos do Brasil, claro.

Três motivos apoiam minha afirmação. Primeiro, o cambio do dólar. Segundo, a tendência mundial de consumo de produtos locais, e, finalmente, a crescente qualidade de nossos produtos, que tiveram a ajuda de duas safras históricas recentemente, a de 2018, cujos vinhos de guarda chegaram há pouco no mercado, e a de 2020, cujos vinhos mais jovens estão nas prateleiras.

Dentro desta tendência há uma outra, a da expansão das fronteiras de nossos vinhos para além do Rio Grande do Sul. Na Grande Prova Vinhos do Brasil 2020, maior concurso de vinhos nacionais com mais de 1300 amostras concorrendo, tinham representantes de 9 estados: RS, SC, PR, SP, MG, ES, GO, BA e PE.

Seguem alguns vinhos de vários estados que avaliei recentemente com boas notas:

Rio Grande do Sul

Cave Geisse, Espumante Extra Brut 2018

Elaborado pelo método champenoise com 50% chardonnay e 50% pinot noir. Com 36 meses sur lie, 6gr de açúcar por litro, 12% de álcool. Perlage perfeitíssima, pequena, abundante e persistente. Cor palha com reflexos dourados, brilhante. Aroma complexo, com notas de tostados, leveduras, frutas vermelhas, mel, amêndoas torradas. Paladar estruturado e complexo, com boa profundidade de saberes, acidez excelente e bem integrada, cremoso e longo, com finesse. Avaliado em 02/04/2021, às 10 horas, em três taças diferentes, Flute, Tulipa e Borgonha, a 10ºC. Pronto, mas pode evoluir e ganhar complexidade, beber entre 2021 e 2029.

NOTA 94 pontos

Santa Catarina

Suzin, Cabernet Sauvignon Super Premium 2018

Da excelente safra 2018. 100% Cabernet Sauvignon, com 24 meses em barricas de carvalho novas, sendo 75% francesas e 25% americanas, 15,4% de álcool. Vermelho rubi bastante escuro. Aroma intenso, com notas de carvalho novo na frente, seguidas de especiarias picantes, frutas negras, balsâmicos, ervas. Paladar potente, encorpado, com madeira aparecendo na boca, taninos firmes e estruturados, acidez presente, conjunto bem equilibrado (mesmo com notáveis 15,4% de álcool) e com bom potencial de guarda. Abrir entre agora e 2030. Sugiro decantar por 2 horas, isso irá ajudar a madeira se integrar. Provado em 23/03/2021 às 11h, com taça tipo Bordeaux

NOTA 92

São Paulo

Continua após a publicidade

Casa Verrone, Gran Speciale Syrah 2018

Elaborado com 100% syrah da Serra da Mantiqueira (colheita de inverno), com 20 meses em barricas novas. Cor rubi escura com reflexos granada, com boa vivacidade. Aroma complexo e integrado, com madeira nova na frente (embora aparecendo menos do que se espera por serem 20 meses), muita fruta negra e vermelha madura, ervas (balsâmicos), notas picantes, muitas especiarias, tostados, café, chocolate. Paladar encorpado, boa estrutura de taninos e acidez, com boa profundidade e persistência gustativa. Belo syrah, ainda jovem, para guarda, pede decantação. Avaliado em 03/05/2021, às 10 horas, em taça tipo Borgonha, a 17 ºC, com decantação de 30 minutos. Sugestão de consumo entre 2021 e 2030

NOTA 93

Paraná

Franco Italiano, Paradigma Rotto Malbec 2018

Elaborado com 100% malbec, com 30 meses em barricas de carvalho francês. Cor muito escura em tons violáceos. Aroma complexo, com muita fruta bem integrada à madeira, geleias de frutas negras, especiarias, baunilha, tostados, cocada preta. Paladar encorpado, com textura densa, bom volume de taninos finos e doces, equilibrados com boa acidez, com boa profundidade, com camadas de sabor. Um malbec de alta qualidade, para longa guarda, sugiro uma decantação mais longa. Avaliado em 13/05/2021, às 11 horas, em taça tipo Bordeaux, a 17 ºC, com decantação de 90 minutos. Sugestão de consumo, até 2030.

NOTA 93

 

Pernambuco

Rio Sol, Tempranillo 2018

Elaborado com 100% tempranillo do Vale do São Francisco-PE, sem passagem por madeira. Cor rubi-granada escura. Aroma frutado e intenso, com notas de frutas vermelhas, cerejas, framboesas. Paladar de médio-bom corpo, com taninos macios equilibrados com uma boa acidez. Eleito o melhor campeão na categoria “outras castas” na Grande Prova de Vinhos do Brasil 2020. Avaliado em 28/11/2020, às 9 horas, em taça tipo Bordeaux, a 18 ºC, sem decantação. Sugestão de consumo, até 2023.

NOTA 91

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade