Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Publicidade
Patricia Lins e Silva Por Patrícia Lins e Silva, pedagoga Educação
Crianças têm o direito à educação escolar, onde se inserem na cultura da sociedade. Mesmo na escola virtual, há uma preocupação com a interação entre alunos
A próxima geração precisa ter acesso a esses recursos para trabalhar, estudar e viver
As instituições de ensino são mais importantes do que qualquer estatística: elas são o alicerce das comunidades
A verba destinada à Educação no Brasil foi a menor nos últimos trinta anos. Em meio a tantas carências na educação, é um descaso absurdo
Ela vive um momento marcante, com o reconhecimento do seu papel central na prosperidade econômica, social e política das nações
A escola deve estar sempre aberta, porque é onde as crianças e os jovens encontram proteção, conhecimento, alimento e afeto
Isso prejudica o diálogo que procura entender e resolver problemas morais nas sociedades
O aluno não aprende com provas. Apenas ganha uma nota. Mas o que importa mais, ter uma nota ou aprender?
Os alunos precisam aprender a solucionar problemas da vida real, como uma pandemia
 A lista de desejos que tenho para o ano de 2021 nem deveria ser uma lista, mas um rol de óbvias necessidades de investimento
Estamos sonhando com o dia em que começaremos a reconstituir os laços com os outros e a sentir a alegria deste afago       
Na escola, aprende-se que só o diálogo e bons argumentos são capazes de persuadir e de possibilitar o convívio razoável
Os alunos brancos sabem das desvantagens dos negros mas não têm consciência das regalias do “privilégio branco”
Nosso voto interfere nos destinos da coletividade e influencia o futuro imediato e o das próximas gerações
É preciso acreditar na possibilidade de diálogo entre os discordantes e amenizar os sentimentos tribais que tomam conta do mundo
O evento deste ano conta uma fábula sobre a busca da humanidade por entender os fenômenos do mundo
Em 15 de outubro se comemora o Dia do Professor, um profissional marcante na vida de todos, desde que passamos a frequentar escolas.
Para os estoicos, a gente deve mudar o que pode e aceitar o que não pode
Proibir a abertura dos colégios mostra, mais uma vez, a indiferença e o desprezo do país pela educação
Publicidade