Clique e assine por apenas 3,90/mês
Publicidade
Manual de Sobrevivência no século XXI Por Analice Gigliotti, Elizabeth Carneiro e Sabrina Presman Psiquiatria
A pandemia de Covid-19 fez com que o povo brasileiro tivesse ainda mais empatia pelos profissionais de saúde
Jogos de azar, mesas de pôquer online, games e pandemia aumentam o número de dependentes de jogos no Brasil
O debate sobre decidir o momento e a forma de morrer ganha cada vez mais espaço em diversos países
O medo do que os outros vão pensar pode ser uma tomada de consciência crítica, um amadurecimento do uso das redes a partir do autoconhecimento
Líderes religiosos se valem da boa fé e vulnerabilidade de seus seguidores como fachada para uma série de irregularidades
Dia do Perdão nos lembra que perdoar tem a ver com voltar-se para dentro e não para o outro, assumindo a reponsabilidade pelo que sentimos
Negacionismo e “brincadeiras” de mau gosto com fatos históricos põe em xeque a capacidade de comunicação dos pais com seus filhos
Setembro Amarelo nos lembra a importância social de falarmos sobre suicídio
Com tantas diferenças sociais e um Estado omisso, é a televisão quem ocupa o papel fundamental de informar e educar a população no Brasil
Crescimento por ajuda de psicólogos e psiquiatras durante a pandemia comprova a importância de se evitar preconceitos contra as doenças mentais
A importância de impor limites aos nativos digitais, crianças e adolescentes que crescem acostumados a celulares, tablets e computadores
A vaidade de mostrar casas de campo, mansões à beira-mar, apartamentos luxuosos e drinques na piscina escancara diferenças e atiça a inveja
Por trás da intenção de se fazer justiça está o perigo do “justiçamento”
A sociedade não pode se deixar levar pelo embaçamento construído para atender interesses comerciais
A disseminação de notícias falsas é danosa em várias escalas, da saúde mental à democracia
Suposições sobre a estilista carioca Layana Thomaz questionam o comportamento de quem mente compulsivamente
Quem sabe possamos fazer escolhas mais conscientes e saudáveis se aceitarmos que a vida vai mudar de novo
Publicidade