Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A onda de Silvana Lima: surfista ‘carioca’ vai em busca de medalha

Cearense radicada na cidade há quase 20 anos, atleta de manobras fortes é uma das esperanças de pódio na Olimpíada de Tóquio

Por Cleo Guimarães Atualizado em 16 jul 2021, 16h03 - Publicado em 16 jul 2021, 07h09

Única representante do Rio no time de surfistas brasileiros na Olimpíada de Tóquio (a primeira a incluir o esporte), Silvana Lima, 36 anos, nasceu no Ceará, mas mora no Recreio há dezenove anos e é figurinha fácil na Praia da Macumba e na Prainha, onde costuma mostrar por que se sagrou duas vezes vice-campeã mundial — tem gente que sai da água para vê-la pegar onda.

Isabella Santoni: musa teen brilha como ‘mulher de malandro’ em DOM

Jonathan Ferr, o pianista de Madureira que quer democratizar o jazz

Depois de um susto no fim de maio, quando testou positivo para a Covid-19, Silvana intensificou os treinos e garante que está “na ponta dos cascos” para os Jogos. A atleta vê chances reais de que toda a equipe brasileira conquiste medalhas. “É superpossível, só depende de não cruzarmos uns com os outros antes das semifinais e finais”, afirma. Difícil mesmo será ficar longe de seus cinco cachorros — Aloha, Swell, Hawaii, Pretinha e Frozen — enquanto estiver em Tóquio. “Sei que eles ficam bem em casa com a minha namorada, mas morro de saudades”, diz a surfista.

Vacinada, Teresa Cristina prepara a volta aos palcos e substitui Conká

Mariana Lima vai nos ajudar a entender os horrores do presente

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade