Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Em seu novo livro, Chico Buarque retrata um país polarizado

Artista se aventura no gênero literário do conto pela primeira vez e volta a falar do Brasil de hoje

Por Kamille Viola Atualizado em 14 out 2021, 17h09 - Publicado em 14 out 2021, 16h56

Com seis romances lançados, Chico Buarque faz sua estreia no conto. Anos de Chumbo e Outros Contos (Companhia das Letras, 168 págs., R$ 59,90 físico ou R$ 29,90 e-book) está previsto para o dia 22, dia em que também será lançada a edição especial comemorativa de 30 anos de Estorvo, seu primeiro romance. O trabalho chega apenas dois anos depois de seu livro anterior, um feito raro em sua carreira literária.

+ Helena, Miguel e como o Brasil virou uma grande novela de Manoel Carlos

Capa do livro Anos de Chumbo de Chico Buarque
Anos de Chumbo: livro será lançado no dia 22 de outubro ./Reprodução

Se em Essa Gente (2019) o personagem principal se vê às voltas com as mazelas do Brasil de hoje, no novo livro esse tema volta a ser abordado pelo escritor. No conto O Passaporte, o personagem de esquerda — identificado como “o grande artista” — é odiado por pessoas agressivas de direita, no que pode ser muito bem comparado aos ataques que o próprio Chico passou a sofrer ao expor seus posicionamentos políticos. Já em Os Primos do Campo ele aborda a milícia, a violência policial e a questão racial.

+ Eles estão de volta: Coldplay confirma presença no Rock in Rio 2022

“O grotesco se revela um pouco mais, mas o autor mostra que o nosso instinto de tratá-lo com naturalidade — de banalizá-lo para melhor digeri-lo — é bem mais longevo e difícil de localizar no tempo. Num ambiente literário cheio de apocalipses estrondosos, Buarque evoca o presente sombrio com alguns deslocamentos sutis, seguindo a máxima dos grandes contistas: a de extrair o máximo de efeito com o mínimo de movimento. Anos de Chumbo são estes nossos”, diz o escritor e crítico literário Alejandro Chacoff no texto de apresentação do trabalho.

Ganhador do prêmio Camões, um dos mais importantes da literatura de língua portuguesa, e do Jabuti, o mais importante do Brasil, além dos seis romances, Chico Buarque também publicou peças, uma novela, um livro infantil e um livro de poesia ao longo de sua carreira.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Na última terça (12), o artista passou por uma cirurgia na coluna, no hospital Copa Star, para tratar a estenose do canal vertebral. De acordo com o que a assessoria de imprensa do cantor e compositor informou ao G1, a cirurgia foi um sucesso. A expectativa é que ele receba alta no sábado (16).

Recentemente, ele se casou com a advogada e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro Carol Proner, no dia 18 de setembro, em um cartório em Itaipava, Petrópolis, no Rio. Chico é pai de Helena, Sílvia e Luísa, as três do relacionamento com a atriz Marieta Severo, com quem ficou casado por 33 anos. Carol é mãe de dois filhos: Francisco e Bárbara.

Continua após a publicidade
Publicidade