Clique e assine por apenas 4,90/mês
Publicidade

Tudo sobre dengue

Estudo da Unesp identificou organismos com potencial para matar as larvas do aedes aegypti, que também causa zika, febre amarela e chikungunya
Alexandre Chieppe, subsecretário de Vigilância em Saúde, admite que prevenção da doença merece atenção redobrada neste verão
Mosquitos modificados são capazes de reduzir a transmissão da dengue e da chikungunya
Apesar da marca, dos 92 municípios fluminenses 22 estão no chamado nível de alerta
aedes-aegypti-dengue.jpeg
Cidade

Vigilância Sanitária começa a buscar focos de Aedes aegypti

Por Agência Brasil - Atualizado em 1 fev 2017, 15h44 - Publicado em 1 fev 2017, 14h56
As inspeções envolverão bares, restaurantes, clínicas, hospitais e pet shops
vacinacao_divulgacao.jpeg
Programe-se

Aplicativo de saúde lança serviço de vacinação em domicílio

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 2 jun 2017, 11h58 - Publicado em 29 set 2016, 19h59
São mais de trinta opções de vacinas, incluindo contra a dengue, gripe, hepatites A e B, HPV, febre amarela, entre outras
aedes-aegypti.jpeg
Cidade

Vacina contra dengue custa no mínimo R$ 900

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h03 - Publicado em 23 set 2016, 20h16
De origem francesa, ela serve para os quatro tipos de dengue conhecidos no Brasil
vacinacao_divulgacao.jpeg
Programe-se

Associações médicas recomendam vacina contra a dengue

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h04 - Publicado em 19 set 2016, 16h21
O imunizante disponível no Brasil foi incluído nos calendários de três sociedades médicas
redtube2.jpeg
Cidade

Plataforma de vídeos adultos combate o Aedes aegypti em Ipanema

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h24 - Publicado em 1 abr 2016, 19h14
Cinco belas garotas distribuíram repelentes na praia de Ipanema nesta segunda (28). "Não queremos que as pessoas coloquem roupas para se proteger do mosquito"
aedes.jpeg
Cidade

Rio apresenta menor índice de infestação por Aedes aegypti da história

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h26 - Publicado em 7 mar 2016, 21h21
Levantamento conclui que cidade apresenta menos focos de reprodução do mosquito, mas ainda há muito a ser feito. Conheça os bairros mais (e os menos) seguros
Publicidade