Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Série Um Dia Qualquer foca em drama humano ao abordar milícia e crimes

Dirigida por Pedro Von Krüger, produção estreia no canal Space na próxima semana. Primeiro episódio está disponível no Youtube

Por Marcela Capobianco Atualizado em 12 ago 2020, 21h57 - Publicado em 12 ago 2020, 15h42

Um dia no subúrbio carioca pode ser qualquer coisa, exceto algo comum. Essa é a premissa da série Um Dia Qualquer, que estreia nesta segunda (17), no canal Space.

+ Camila Pitanga e a filha estão com malária. Atriz prestou homenagem ao SUS

Por trás de um cotidiano aparentemente simples e rotineiro, a violência diária e o clima de guerra civil obrigam os moradores de um bairro controlado pela milícia a empreender uma jornada por sobrevivência.

A história começa dez anos antes, quando o traficante que domina o bairro é morto por um ex-PM que passa a controlar o local. Em apenas 24 horas, diversas histórias se misturam. Para se distanciar de longas que têm a violência muito presente, Um Dia Qualquer se debruça sobre os dramas familiares, e o impacto que a milícia gera na vida dos moradores da região.

“Quisemos lançar um olhar mais humano para o dia a dia tão violento enfrentado por muita gente no Rio de Janeiro. Embora tenha elementos de tragédia muito presentes em filmes brasileiros de sucesso, a série cria uma história original ao abordar como as relações íntimas são influenciadas pela violência ao redor”, conta o diretor da série, Pedro Von Krüger.

Um Dia Qualquer: Augusto Madeira e Vinicius de Oliveira interpretam milicianos Divulgação/Divulgação

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Com roteiro de Leonardo Gudel, Victor Rosa e Bernardo Doutel, a série, originalmente, foi escrita para ser um longa-metragem, que seria lançado em fevereiro. No entanto, o corte dos repasses do Fundo Setorial do Audiovisual, gerido pela Ancine, impediu a distribuição do filme, que têm rodado por festivais internacionais e, também por causa da pandemia, não tem previsão para chegar aos cinemas brasileiros.

“Há um plano maquiavélico de desmonte da cultura. A série vem para mostrar que dá para fazer audiovisual no Brasil, sim, de uma forma sustentável e profissional. Se não fosse o canal Space, não teríamos conseguido lançar um produto que está pronto”, desabafa o produtor Denis Feijão.

+ Teatro Riachuelo vai reabrir com lives de Adriana Calcanhotto e Casuarina

No elenco principal estão Augusto Madeira, Vinicius de Oliveira, Mariana Nunes e Jefferson Brasil, que tiveram muita liberdade para improvisar durante as gravações.

“Quando surgiu a oportunidade de transformar o filme em série tivemos que escrever praticamente um novo projeto, com mais cenas, tramas e personagens. A principal preocupação era deixar o texto o mais natural possível, para que os atores imprimissem gírias e o modo de falar próprio de um miliciano ou de um traficante, por exemplo”, explica o roteirista Victor Rosa.

+ Crítica: com pinceladas de Shakespeare, peça virtual dá plenos poderes ao público

Os cinco episódios serão exibidos entre segunda (17) e sexta (21), sempre às 22h. No sábado (22), os assinantes podem ‘maratonar’ a série, a partir das 18h. O primeiro capítulo está disponível no YouTube.

Continua após a publicidade

Publicidade