Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

MAM Rio abre 38 vagas em programa de residências artísticas

Oportunidades são voltadas a adolescentes, professores, artistas e profissionais com deficiência, com bolsas de até R$ 5 000,00

Por Marcela Capobianco Atualizado em 25 fev 2021, 11h33 - Publicado em 24 fev 2021, 12h45

Em mais um passo em busca da pluralidade de ideias e práticas, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro lança, nesta quarta (24), o programa de residências de 2021. Serão cinco projetos a serem abertos ao longo do primeiro semestre, totalizando 38 vagas.

As oportunidades são voltadas a adolescentes, professores, artistas, pesquisadores, curadores e profissionais com deficiência, com o objetivo de fazer do MAM Rio um lugar de formação.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Para o diretor-executivo do MAM Rio, Fabio Szwarcwald, o programa traz a oportunidade de abertura do museu para uma nova interação com projetos culturais de grande relevância no cenário nacional e internacional. “A instituição apoia os processos que sustentam a teoria-prática da arte, buscando uma reflexão sobre o novo cenário que se desenha pela frente. Com este programa de residência, o MAM está ainda mais conectado com a sociedade”.

A Residência Pesquisa em Artes, cujas inscrições vão até dia 12 de março, vai acolher doze jovens profissionais da área, facilitando o acesso a ferramentas que os conectem às instituições de arte, incluindo o MAM Rio. Com duração prevista entre abril e novembro, os encontros serão virtuais no primeiro ciclo, até agosto, e presenciais entre setembro e novembro. Para participar, é necessário ter cinco anos de trabalho como profissional no campo das artes visuais ou em áreas relacionadas.

Estrangeiros com residência permanente no Brasil também podem se inscrever. A residência oferece um auxílio de pesquisa no valor de R$ 1 200 mensais para o primeiro ciclo e um auxílio de deslocamento para a cidade do Rio de Janeiro para participantes de outros estados no segundo ciclo.

+ Paço Imperial vai reabrir com mostra sobre Direitos Humanos

Outra opção é a Residência Territórios Curatoriais, com inscrições abertas até 3 de março. O programa é direcionado a jovens curadores, preferencialmente entre 21 e 40 anos de idade, moradores da periferia do Rio ou do interior fluminense. Seis pessoas serão selecionadas para desenvolver projetos individuais e ter acesso à prática profissional do museu. Além disso, serão distribuídas seis bolsas de pesquisa no valor de R$ 2 500 mensais, em março e abril.

Continua após a publicidade

A Residência Professor-Pesquisador vai selecionar seis professores das redes públicas de ensino para um processo com duração de seis meses. Através de encontros remotos coletivos e individuais, os participantes vão desenvolver projetos e metodologias que misturem arte, educação e cultura digital. O programa foi desenvolvido para estimular a reflexão e o desenvolvimento de proposições que respondam aos desafios que o isolamento social e os formatos remotos trouxeram para a educação.

As inscrições podem ser feitas até 17 de março, e os interessados devem ser professores de qualquer disciplina, em regência, atuantes nas escolas da rede pública do município do Rio de Janeiro, podendo o colégio ser estadual, municipal ou federal.

+ Murais modernistas de Paulo Werneck ganham retrospectiva no MAR

A quarta opção é a Residência Germinadora, um laboratório de criação voltado para jovens estudantes, entre 14 e 18 anos. Serão selecionadas três duplas de estudantes da rede pública e uma dupla de alunos da rede privada de ensino. Cada dupla receberá uma remuneração de R$ 1 000,00 durante seis meses.

Os projetos desenvolvidos responderão a dúvidas vividas pelos funcionários do museu em seu cotidiano, por exemplo: como o MAM pode dialogar com os jovens? Como o museu pode ser mais inclusivo? Como ter um discurso acessível a esse público? O que a juventude espera/deseja de um museu de arte? Só serão aceitas inscrições com duas pessoas. O edital fica aberto até 12 de maio.

+ Anna Bella Geiger indica passeio no Parque Lage

Por fim, a Residência Incluir, com inscrições abertas até 23 de maio, vai selecionar seis educadores, artistas e outros profissionais com deficiência para atuar durante um mês com a equipe de Educação e Participação do museu, no intuito de desenvolver um projeto de intervenção, formação e colaboração que contribuam para tornar o MAM Rio uma instituição mais acessível e inclusiva em todas as suas áreas de atuação.

Cada bolsista receberá R$ 5 000,00 para o desenvolvimento de um plano de trabalho, que será construído junto às equipes do museu. Para participar desse programa é necessário ser um profissional das artes com deficiência, e com uma prática profissional que compreenda o desenvolvimento de acessibilidades em espaços culturais.

As inscrições e demais informações podem ser encontradas no site do MAM Rio.

Continua após a publicidade

Publicidade