Clique e assine por apenas 3,90/mês

Grátis: festival exibe apresentações de dança e música clássica no YouTube

Projeto Digital Dellarte começa nesta quinta (15), com transmissão de concerto da Lucerne Symphony Orchestra, da Suíça

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 12 out 2020, 17h51 - Publicado em 12 out 2020, 17h50

Acostumada a trazer para o Brasil grandes espetáculos de dança, balés e concertos, a produtora cultural Dellarte precisou se reinventar durante a pandemia e migrou o trabalho para as plataformas digitais.

Nesta quinta (15), a empresa lança o festival Dellarte Digital, pelo YouTube, reunindo pérolas como o Balé Nacional da China e a centenária Sinfônica de Bamberg, da Alemanha.

+ Mostra celebra 50 anos do encontro entre Oiticica e Neville d’Almeida

“A pandemia afetou pesadamente o setor cultural, onde a interação presencial é um dos propósitos da experiência. Tivemos que nos adaptar a novos formatos para o espetáculo continuar”, diz Steffen Dauelsberg, diretor executivo da Dellarte.

Até dezembro, serão disponibilizados sete espetáculos on-line gratuitos no festival, com alguns nomes inéditos no Brasil.

Cada espetáculo, gravado, terá entrevistas exclusivas com diretores artísticos, maestros e músicos, comandadas pelo jornalista e escritor Rodrigo Alzuguir.

Todas as apresentações serão exibidas no canal da Dellarte no Youtube, sempre às 19h30.

A Lucerne Symphony Orchestra, da Suíça, uma das formações sinfônicas mais antigas do mundo, inaugura a programação nesta quinta (15), com o concerto Oferenda Romântica, um duplo para piano e violoncelo do compositor russo Rodion Shchedrin.

Os solistas Misha Maisky e Marta Argerich fazem participações especiais. Antes da apresentação, haverá uma entrevista com Numa Bischof Ullmann, diretor artístico da orquestra.

Continua após a publicidade

Em comemoração aos 60 anos do Balé Nacional da China, no dia 22, serão transmitidas cinco peças concebidas pelos coreógrafos da companhia e encenadas durante a pandemia. As obras trazem uma reflexão sobre o isolamento social e fazem um tributo a médicos e enfermeiros que estão na linha de frente contra a Covid-19. O programa também contará com uma entrevista com Feng Ying, diretora artística da companhia.

+ Solidariedade entre vizinhos impulsionou negócios de bairro

No dia 29 de outubro, é a vez da vitalidade e contemporaneidade do Balletto di Roma, fundado há 60 anos, serem exibidos no canal do YouTube da Dellarte. O balé escolhido foi o clássico de Shakespeare Otelo, uma das mais famosas produções da companhia.

A aclamada percussionista chinesa Beibei Wang, pouco conhecida no Brasil, fará uma apresentação no dia 12 de novembro. O show mistura música clássica com solos performáticos conceituais. Membro da Royal Academy of Music, Beibei coleciona turnês internacionais e participações em festivais de música com as principais orquestras do mundo.

+ Maria Ribeiro: “Meu Brasil é o que toca no rádio”

Beibei Wang: show da percussionista chinesa mescla o clássico ao performático Huazhen Hu/Divulgação

O som e a grandeza histórica da Sinfônica de Bamberg, da Alemanha, entram em cena no dia 26 de novembro. Com mais de cem anos de tradição, a orquestra já apresentou mais de sete mil concertos em 63 países. No festival da Dellarte, o público vai poder assistir à obra Má Vlast, do compositor tcheco Bedřich Smetana, realizada no Festival da Primavera de Praga.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Em dezembro, será a vez da Orquestra Sinfônica Jovem de Macau, formada por estudantes universitários. A apresentação do concerto para violino, violoncelo e piano em Dó maior Opus 56, de Beethoven, será transmitida no dia 10. Na ocasião, será transmitida uma entrevista com Oswaldo Veiga Jardim, maestro brasileiro radicado em Macau que comanda a sinfônica.

O famoso Quebra-Nozes, com música de Tchaikovsky numa nova versão ainda não conhecida pelo grande público, será veiculado no dia 17 de dezembro, fechando a programação. A produção é do Ballet du Grand Théâtre de Genève. Criada em 1960, a companhia suíça, sob direção de Philippe Cohen, explora a pluralidade da dança dos séculos XX e XXI.

 

Continua após a publicidade
Publicidade