Clique e assine por apenas 4,90/mês

Em vídeos nas redes sociais, Francis Hime revela bastidores de canções

Segundo o músico, a ideia é abordar não apenas a feitura de cada obra, mas também as influências e circunstâncias que as cercam

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 13 Maio 2020, 22h32 - Publicado em 13 Maio 2020, 22h11

O compositor e maestro Francis Hime decidiu promover encontros virtuais durante o isolamento social. Toda quarta-feira, às 19h, o músico vai postar em suas redes sociais vídeos nos quais detalha o seu processo de criação e conta histórias por trás das canções e parcerias, tanto na música popular como na erudita.

A ideia partiu do livro escrito por Francis, “Trocando em miúdos – as minhas canções”, que já foi transformado em show. “A ideia é abordar não apenas a feitura de cada canção, mas também as influências e circunstâncias que as cercam”, conta Francis.

View this post on Instagram

Sobre a canção " Trocando em miúdos ", parceiria com Chico Buarque. . . @joanahime @blooks @cafeinaproducoes @editora_terceiro_nome . O livro estará disponivel durante 24 horas pelo link: https://www.dropbox.com/s/xtyndshfyo2pfdc/Frandis%20Hime%20-%20livro%20Trocando%20em%20mi%C3%BAdos%20as%20minhas%20can%C3%A7%C3%B5es.pdf?dl=0 . (Por razões técnicas "pandêmicas" o programa será fracionado em 3 partes. A partir da quarta que vem será transmitido na íntegra. No facebook entra hoje na íntegra) . #trocandoemmiudosasmunhascancoes #francishime #quarentenamusical #blooks

Continua após a publicidade

A post shared by Francis Hime (@francishimeoficial) on

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O primeiro programa é sobre a canção Trocando em Miúdos, parceria com Chico Buarque. No dia 20 de maio, a escolhida é Sem Mais Adeus, primeira parceria de Francis com Vinicius de Moraes. No dia 27, será a vez de contar mais sobre Parceiros, canção de Francis e Milton Nascimento.

Continua após a publicidade

+ Museus desafiam ‘quarenteners’ a recriar obras de arte em casa

“Na sequência, virão canções que fiz com Ruy Guerra, Olivia Hime, Paulo Cesar Pinheiro, Geraldo Carneiro, Cacaso, Gilberto Gil, Thiago Amud, Guinga, Zelia Duncan e muitos outros, já que uma das características do meu trabalho é gostar de compor com muitos parceiros”, define o maestro.

+ Oi Futuro lança série documental com reflexões sobre a pandemia

Nos encontros musicais semanais, produzidos no estúdio de casa, Francis Hime relembrará ainda trilhas que compôs para o cinema, como as de Dona flor e seus dois maridos, de Bruno Barreto, e Lição de amor, de Eduardo Escorel. Músicas que compôs para montagens teatrais, exemplo de O Rei de Ramos, de Dias Gomes, e A menina e o vento, de Maria Clara Machado, também não ficam de fora.

Continua após a publicidade

+ Cinema Drive-In é aposta de empresários para salvar mercado

Publicidade