Clique e assine por apenas 4,90/mês

Fim de semana terá mais shows e peças com transmissão on-line

Respeitando as orientações da OMS e dos governos estaduais, artistas seguem em quarentena, mas se apresentam em casa, em lives no Instagram

Por Marcela Capobianco - 25 mar 2020, 14h05

Com a proximidade do fim de semana, surgem programações culturais para assistir e se divertir sem sair de casa. Na esteira de movimentos pelo mundo e aqui mesmo no Brasil, o cantor e ator Claudio Lins criou o festival on-line #ZiriguidumEmCasa, numa parceria com o jornalista Beto Feitosa. A primeira edição, que teve grande audiência, foi na semana passada e contou com apresentações de Joyce Moreno, Pedro Luís e Hamilton de Holanda, entre outros.

+ Met Opera, de Nova York, disponibiliza vídeos de antigas apresentações

A segunda edição vai acontecer entre quinta (26) e domingo (29), com transmissões feitas ao vivo diretamente da rede social de cada artista, que podem ser consultadas neste link. Confira a programação:

Quinta (26):
17h – Luis Carlinhos
17h30 – Ananda Torres
18h – Rômulo Azevedo
18h30 – Glad Azevedo
19h – Tino Gomes
19h30 – Célia Vaz e Fernando Leporace
20h – anúncio em breve
20h30 – João Senise
21h – Claudio Lins

+ Expositores de feiras orgânicas estão fazendo delivery no Rio

Continua após a publicidade

Sexta (27):
17h – Marcus Lima
17h30 – Lúcia Menezes
18h – Tico d’Godoy
18h30 – Rafael Cortes
19h – Lan Lanh
19h30 – Lucio Mauro Filho
20h – Gilson Peranzzetta
20h30 – Marcos Almeida
21h – Biquini Cavadão

+ Guia da quarentena: veja dicas de filmes, séries e brincadeiras com as crianças

Sábado (28):
17h – Bena Lobo
17h30 – Laura Finocchiaro
18h – Nilze Carvalho
18h30 – Verônica Sabino e Sérgio Chiavazzoli
19h – Imyra
19h30 – Pillar
20h – Laila Garin e Marcelo Caldi
20h30 – Jair Oliveira
21h – Rodrigo Vellozo

laila-garin.jpeg
Laila Garin Divulgação/Divulgação

Domingo (29):
16h30 – Marysa Alfaia
17h – Ninah Jo
17h30 – John Mueller
18h – Rê Adegas
18h30 – Alegria
19h – Dani
19h30 – Daniel Gonzaga
20h – Eduarda Fadini e
20h30 – Isabella Taviani
21h – Pedro Miranda

Teatro

A Cia Armazém de Teatro, cuja sede fica dentro da Fundição Progresso, interrompeu as atividades por conta da pandemia de covid-19, mas disponibilizou uma filmagem da peça A Marca da Água, de 2012, que faz parte do repertório do grupo. O premiado texto é de Mauricio Arruda Mendonça e Paulo de Moraes. A protagonista Laura vive numa aparente placidez, uma espécie de tristeza cotidiana. Até que um peixe enorme aparece misteriosamente no seu jardim. A presença estranha do animal, a discussão com o marido e as picuinhas da vida em família são pistas falsas sobre o rumo das coisas, porque Laura está diante do inevitável. Você assiste ao espetáculo clicando aqui.

Duas peças do dramaturgo Gustavo Pinheiro, colunista de VEJA RIO, também estão no Youtube para quem quiser assistir em casa.

Continua após a publicidade

A Tropa. Vencedor do concurso Seleção Brasil em Cena do CCBB como melhor texto, um pai doente recebe a visita dos quatros filhos no hospital. O que seria apenas um encontro em função de um parente debilitado se revela um acerto de contas familiar, permeado de humor e afeto, tendo como pano de fundo os últimos 50 anos da hstória brasileira, dos tempos da ditadura militar à Operação Lavo Jato. Dirigida por Cesar Augusto, a peça é estrelada por Otávio Augusto. Clique aqui para assisti-la.

2_otavio-augusto_credito-elisa-mendes.jpeg
Otávio Augusto: ator comemorou 50 anos de carreira ao estrelar a peça A Tropa Elisa Mendes/Divulgação

Alair. O espetáculo joga luz à vida do fotógrafo Alair Gomes, precursor da fotografia homoerótica no Brasil, que conquistou a consagração internacional com seu trabalho, que reuniu mais de 170 000 negativos cujo tema central era a beleza do corpo masculino. O papel principal é interpretado por Edwin Luisi e a direção também é de Cesar Augusto. Confira aqui:

 

Teatro Infantil

Continua após a publicidade

Uma excelente opção para distrair a criançada é correr atrás dos espetáculos que são disponibilizados on-line no fim da semana. A produtora Palavra Z vai liberar, mais uma vez, em seu site, links de trabalhos anteriores. Fique ligado, porque os vídeos só ficam disponíveis por algumas horas:

A Menina Edith e a Velha Sentada. A montagem musical baseada no livro do ator e diretor Lázaro Ramos faz uma viagem pelos cinco sentidos (visão, audição, paladar, tato e olfato), propondo um equilíbrio na vida moderna das crianças e adolescentes, ao resgatar brincadeiras do passado e no uso da tecnologia com bom senso. São os nossos sentidos que nos alertam para uma melhor compreensão das coisas que acontecem ao nosso redor e com nosso corpo. A adaptação é assinada pelo próprio Lázaro Ramos, em parceria com Elisio Lopes Jr. O espetáculo será disponibilizado nesta quinta (26), das 10h às 17h, neste link.

sauma2.jpeg
A Menina Edith e a Velha Sentada: disponível on-line nesta quinta (26) Divulgação/Divulgação

Patrícia Piolho. Na sexta (27), será a vez do espetáculo de Luiza Yabrudi e Karina Ramil. A peça narra o drama de uma menina do interior que chega à cidade grande e busca aceitação na turma do novo colégio. Logo no primeiro dia de aula, em meio a esse desafio, ela conhece o inseto mais temido na infância, o piolho, motivo de bullyng, mas que, para sua surpresa, acaba sendo seu melhor amigo. O vídeo será disponibilizado também das 10h às 17h, neste link.

A Pequena Vendedora de Fósforos. Um dos textos mais populares de Andersen e pouco montado no Brasil, a peça conta a história de uma menina que, para sobreviver, ajuda a família vendendo fósforos. Num dia frio, de uma noite de Natal, ela acende um dos palitos para se aquecer. Cada fósforo que acende faz com que ela se depare com a vida que nunca teve: brinquedos, uma bela refeição, a presença de uma família, até o último fósforo, que traz de volta o desejo de rever a sua querida avó, já falecida.  A adaptação é de Denise Crispun e a direção é de Lúcia Coelho. O espetáculo será disponibilizado no sábado (28), das 10h às 17h, neste link.

Continua após a publicidade

Marrom – nem preto nem branco? Inspirada na menina Lorena de Melo Schaefer, a peça conta a história de Linda, uma menina que não entende o conceito de raça, só de cor. Filha de pai alemão e mãe negra, ela se acha marrom. Após inúmeras situações que apontam as desigualdades, ela decide fugir em busca de sua identidade a procura de um lugar onde todos são iguais. O texto é de Renata Mizrahi. O vídeo será disponibilizado no domingo (29), das 10h às 17h, neste link.

Publicidade