Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Vacinados já podem visitar pacientes com Covid-19 em hospitais no Rio

Quem receber a segunda dose deve esperar pelo menos catorze dias para realizar visita. Risco de contaminação será baixo, aponta infectologista

Por Redação VEJA RIO Atualizado em 18 Maio 2021, 15h54 - Publicado em 18 Maio 2021, 12h46

Nesta segunda (17), foi publicada uma resolução no Diário Oficial do Município do Rio que autoriza os internados em hospitais da cidade a receberem visitas de pessoas que já tomaram as duas doses da vacina contra a Covid-19.

+Vacinação: confira o cronograma da semana no Rio para Covid-19 e gripe

Segundo o texto, os visitantes devem ter recebido a segunda dose da vacina com um intervalo de pelo menos catorze dias, além de serem obrigados a usarem máscaras de proteção para entrada nos hospitais.

O infectologista e epidemiologista Celso Ramos Filho, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), aponta que a presença de vírus que pode ser transmitido começa a diminuir na segunda semana da doença, período em que geralmente os pacientes em casos mais graves são internados.

“O risco de contaminação para quem realizar a visita será muito baixo, já que a pessoa estará imunizada e provavelmente seguirá um protocolo de proteção adequado para entrar no hospital. O impacto epidemiológico desta liberação será bem menor em comparação a aglomerações que tem ocorrido em bares, festas e estádios”, explica.

Continua após a publicidade

+ Covid-19: Rio regulariza aplicação da segunda dose da Coronavac

Os horários e as regras para visitação, como o número máximo de pessoas e formas de agendamento, devem ser decididos pela direção de cada unidade, assim como a data para o início. Restritas desde abril de 2020, as visitas foram interrompidas como uma das formas de conter a disseminação do novo coronavírus.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Até agora, foram imunizados com a segunda dose no Rio mais de 870 000 pessoas. Quanto a primeira dose, 1 807 183 já foram vacinados, o que corresponde a 26,8% da população carioca.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade