Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Laranjeiras ganha bar dedicado aos vinhos brasileiros

Com objetivo de ser mais em conta e despojado, Medusa Urbana VinhoBar reúne coquetéis à base da bebida que nomeia a casa e petiscos com sotaque de boteco

Por Carolina Barbosa Atualizado em 7 out 2020, 18h59 - Publicado em 7 out 2020, 18h17

Inaugurado uma semana antes da quarentena, o Medusa Urbana VinhoBar, em Laranjeiras, acaba de reabrir as portas, apostando numa pegada mais leve, descontraída e acessível para quem deseja degustar um vinho. Irmão caçula da antiga adega criativa Medusa Urbana, localizada na Fábrica Bhering, no Santo Cristo, que fechou as portas na pandemia, o novo espaço segue a mesma linha artística da marca criada em 2017, com diversas intervenções artísticas e culturais, além de jogos de tabuleiros e outros atrativos.

+Chef Monique Gabiatti inaugura ‘bar de crudos’ em Botafogo

Assinado pelo escritório Três Arquitetura, o espaço é inspirado no interior de uma caixa de vinhos, claro, com paredes em vermelho vivo, cortinas teatrais, móveis minimalistas e linhas retas, além de varanda com teto coberto de samambaias e um lounge com sofás, poltronas e mesas estilo bistrô.

Salão: na onda instagramável Celavifilmes/Divulgação

Assinada pelo chef e sommelier carioca, Guilherme Hoff, nascido e criado no Cosme Velho, a carta da casa valoriza a produção nacional, com mais de 30 vinhos brasileiros. Há “taças” a partir de R$ 15,00 e garrafas por R$ 65,00. Aos que preferem os bons drinques, a carta assinada pelos mixologistas da Raiz Forte, Tábata Magarão e Alexandre Assab, aposta em criações à base do líquido que nomeia o reduto, como a inédita caipirinha de vinho tinto (R$ 19,00) e o basil chardonnay (R$ 23,00).

+Bistrô da Casa lança programação ao ar livre às quintas

Para comer, entra em cena um cardápio enxuto e inspirado nos tira-gostos de boteco. Entre os destaques figuram a porção de pastéis de ratatoullie ao pesto (R$ 28,00) e o sanduíche de pulled pork com barbecue de cabernet sauvignon e queijo meia-cura derretido (R$ 32,00).

Drinque: com chardonnay Celavifilmes/Divulgação

“Faço parte da comunidade LGBTQIA+, então sei como é não se sentir seguro e à vontade em um bar aqui no Rio, seja pela cultura do local ou pelo treinamento inadequado da equipe. Muitos bares se intitulam como espaços democráticos, mas não colocam isso em prática. O mundo do vinho ainda é muito branco e elitista, e aqui queremos fazer o contrário. Não vamos nos rotular como bar de uma classe específica, mas como um espaço para todos, e isso se mostra em atitudes”, explica Jan David, um dos sócios.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Serviço: Rua das Laranjeiras, 336, loja D, Laranjeiras, 97903-9385. De quarta a sábado, 17h até 0h. 

Continua após a publicidade
Publicidade