Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Lasai, Olympe e Roberta Sudbrack na lista dos 50 melhores do ano

Claude Troisgros recebeu o prêmio "Lifetime Achievement" no Latin America’s 50 Best Restaurants, na Cidade do México

Por Isabelle Lindote Atualizado em 5 dez 2016, 11h02 - Publicado em 27 set 2016, 13h57

O anúncio dos 50 melhores restaurantes latino-americanos do ano, realizado na noite de 26 de setembro, na Cidade do México, premiou os cariocas Lasai, Olympe e Roberta Sudbrack, dos chefs Rafa Costa e Silva, Claude e Thomas Troisgros e Roberta Sudbrack. O D.O.M, de Alex Atala, continua sendo o restaurante mais bem colocado do país na lista, subindo de 4º para o terceiro lugar em 2016.

Outro destaque foi a condecoração pelo conjunto da obra recebida por Claude Troisgros, que chegou ao Rio de Janeiro em 1979 e tem papel fundamental no atual desenvolvimento gastronômico do país. “A felicidade que eu sinto não só de receber esse prêmio, mas de ver América Latina com uma competência extraordinária, este continente que vem se sobressaindo nos últimos dez anos. Estou há 38 anos no Brasil e isso me deixa muito alegre”, falou o francês, ao receber a homenagem.

A primeira colocação continua com o Central, de Lima, dos chefs Virgilio Martinez e Pia Leon.

O paulistano Maní, da chef Helena Rizzo (eleita melhor chef mulher do mundo pela revista inglesa “The Restaurant”, em 2014), manteve a oitava posição, enquanto a A Casa do Porco Bar, espaço dos chefs Jefferson e Janaína Rueda, que tem feito barulho em São Paulo com seus pratos inventivos, foi considerada a melhor estreia do ano, em 24º lugar, aumentando o número de presenças brasileiras. Confira a lista completa:

1 – Central, de Lima (Peru)

2 – Maido, de Lima (Peru)

3- D.O.M., de São Paulo (Brasil)

4- Boragó, de Santiago (Chile)

5 – Pujol, da Cidade do México (México)

6 – Quintonil, da Cidade do México (México)

7 – Astrid y Gastón, de Lima (Peru)

8 – Maní, de São Paulo (Brasil)

9 – Tegui, de Buenos Aires (Argentina)

10 – Biko, da Cidade do México (México)

11 – Sud 777, da Cidade do México (México)

12 – La Mar, de Lima (Peru)

13- El Baqueano, de Buenos Aires (Argentina)

14 – Gustu, de La Paz (Bolívia)

15 -Amaranta, de Toluca (México)

16 – Leo, de Bogotá (Colômbia)

17- Olympe, do Rio (Brasil)

18 – Lasai, do Rio (Brasil)

19 – Pangea, de Monterrey (México)

20 – Ambrosía, de Santiago (Chile)

21 – Don Julio, de Buenos Aires (Argentina)

22 – 99, de Santiago (Chile)

23 – Parador La Huella, de Jose Ignacio (Uruguai)

Continua após a publicidade

24 – A Casa do Porco, de São Paulo (Brasil)

25 – Roberta Sudbrack, do Rio (Brasil)

26 – Aramburu, de Buenos Aires (Argentina)

27 – Osso, de Lima (Peru)

28 – Mocotó, de São Paulo (Brasil)

29 – Criterión, de Bogotá (Colômbia)

30 – Rafael, de Lima (Peru)

31- Elena, Buenos Aires, Argentina

32 – Alto, de Caracas (Venezuela)

33 – La Cabrera, de Buenos Aires (Argentina)

34 – Fiesta, de Lima (Peru)

35 – Chila, de Buenos Aires (Argentina)

36 – Maito, da Cidade do Panamá (Panamá)

37 – Nicos, da Cidade do México (México)

38 – Malabar, de Lima (Peru)

39 – Corazón de Tierra, Valle de Guadalupe (México)

40 – Harry Sasson, de Bogotá (Colômbia)

41 – Isolina, de Lima (Peru)

42 – 1884, de Mendoza (Argentina)

43 – Osaka, de Santiago (Chile)

44 – Remanso do Bosque, de Belém do Pará (Brasil)

45 – Tuju, de São Paulo (Brasil)

46 – La Bourgogne, de Punta del Este (Uruguai)

47 – Tierra Colorada, de Assunção (Paraguai)

48 – Dulce Patria, da Cidade do México (México)

49 – Andrés Carne de Res, de Chia (Colômbia)

50 – Pura Tierra, de Buenos Aires (Argentina)

Continua após a publicidade

Publicidade