Clique e assine por apenas 3,90/mês

Comer & Beber 2017/2018: Jéssica Sanchez é a bartender do ano

Ser mulher, mãe e craque das coqueteleiras em um mercado dominado por homens não é para qualquer um — ou melhor, uma

Por Carol Zappa - 1 ago 2017, 19h15

O último ano foi animado. Em agosto de 2016, Jéssica Sanchez deixou o prestigiado cargo de chefe de bares do hotel Copacabana Palace para se dedicar à filha, Sophia, então com 4 meses. A maternidade, no entanto, não impediu a paulista de 28 anos de se destacar em um cenário onde quem manda são os homens. Com a pequena a tiracolo, Jéssica assinou criações para casas no Rio e em São Paulo e montou a carta de boa parte dos estabelecimentos do Vogue Square. No Vizinho, charmoso balcão também no complexo gastronômico da Barra, ela empunha as coqueteleiras, executando com maestria os clássicos e exercendo sua verve criativa. À frente do negócio desde a abertura, em novembro de 2016, assumiu a sociedade e lançou, oito meses depois, uma instigante carta em que se nota o cuidado com os componentes das receitas: xaropes, bitter e gelo são preparados artesanalmente por lá. Há planos para a abertura de uma filial na Zona Sul. Nascida em São Caetano do Sul, a mixologista teve de driblar a resistência dos primeiros patrões, que não queriam uma menina preparando drinques. Para complicar, sua família, seguidora da religião mórmon, é contrária ao consumo de álcool. Jéssica só passou a beber socialmente à beira dos 20 anos — antes, trabalhou como sommelière, mas cuspia o vinho. No Rio desde 2012, ela despontou no Meza Bar, assumiu o posto no Copa, conquistou prêmios, a exemplo do Bols Around the World 2014 (melhor bartender da América Latina), e ensaia voos maiores com seus divinos drinques.

Publicidade