Clique e assine por apenas 4,90/mês

Comer &Beber 2017/2018: Felipe Bronze é eleito o Chef do Ano

Requisitado pela TV, dono de restaurantes bem-sucedidos e com muitos projetos em vista, incluindo uma filial do Oro, ele vive o auge da carreira

Por Fabio Codeço - Atualizado em 1 ago 2017, 20h27 - Publicado em 1 ago 2017, 19h30
Para o alto e avante: depois de mudar o restaurante para o Leblon, em 2016, Bronze não parou mais Tomás Rangel/Veja Rio

Apresentador dos programas The Taste Brasil, Que Seja Doce e Perto do Fogo, Felipe Bronze se superou em 2017: virou o cozinheiro do canal GNT com mais atrações no ar ao mesmo tempo, ultrapassando até Claude Troisgros. Os bons ventos continuaram a soprar em sua direção. Depois de se mudar com o Oro para o Leblon, o chef reinventou com sucesso a proposta da casa, transformando o menu degustação numa sequência de entradas, e levou para o Fashion Mall sua cozinha de perfil mais despojado, o Pipo. Acertou, mais uma vez. Além de ser talentoso com as panelas, Bronze tem se revelado ótimo gestor. Investindo em jovens talentos, ele dispõe de uma equipe que trabalha com evidente entusiasmo. No auge da carreira, aos 38 anos, o chef não para. Está criando uma linha de louças para a grife portuguesa Vista Alegre e prepara-se para abrir mais dois restaurantes: a primeira filial do Oro, em São Paulo, e uma casa em Lisboa. Também prepara seu segundo livro de gastronomia, retratando desta vez suas experiências com a brasa. Aprender a dominar o fogo, ao que parece, foi sua maior conquista.

Nova ousadia: o chef converteu o menu do Oro numa sequência de entradas Tomás Rangel/Divulgação
Publicidade