Imagem Blog

Vinoteca Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Marcelo Copello, jornalista e especialista em vinhos
Marcelo Copello dá dicas sobre vinhos
Continua após publicidade

Descobertas do vale do Rhône, alem das AOCs famosas

Região francesa vai muito além dos vinhos mais famosos, com inúmeras possibilidade para boas compras

Por Marcelo Copello Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
9 fev 2024, 05h38

O brasileiro ainda conhece pouco os vinhos do Vale do Rhône, no leste da França. Esta região vai muito além do Châteauneuf-du-Pape, seu vinho mais conhecido, ou dos Côtes du Rhône genéricos, seu produto de entrada.

 

Nomes como Vinsobres, Saint-Joseph, Gigondas, Lirac e Vacqueyras podem guardar ótimas surpresas, às vezes superando as AOCs mais famosas da região, como a já citada Châteauneuf-du-Pape, que por ser muito grande tem qualidade irregular, com alguns vinhos excepcionais e outros que não valem o preço. Outra AOC da região que merece ser descoberta é Tavel, com seus rosados mais estruturados, gastronômicos e com algum potencial de guarda.

 

O Rhône é a segunda maior região da França quando falamos em produção de vinhos de com denominação de origem, superada apenas de Bordeaux. Localizada entre as cidades de Lyon e Avignon ao longo do vale do rio Ródano (Rhône), pode ser dividida, por conta de seu clima, entre norte e sul.

Continua após a publicidade

 

No norte, mais frio, reina a syrah nas tintas e viognier nas brancas. No sul o clima é mediterrâneo, mais caloroso e dominado pela grenache (com syrah e mourvèdre como coadjuvantes) nas tintas e nas brancas por marsanne e roussanne. A região permite 27 castas em seus vinhos. As principais são, além das citadas acima, carignan e cinsault nas tintas e grenache blanc nas brancas.

 

A pirâmide dos vinhos da região tem na base os Côtes du Rhône “genéricos”, depois com os Côtes du Rhône Village e sobe até os chamados crus, que são apenas dezenove, oito ao norte, nove ao sul e mais dois de vinhos fortificados. No norte temos Château-Grillet, Condrieu, Cornas, Côte-Rôtie, Hermitage, Crozes-Hermitage, Saint-Joseph e Saint- Péray. No sul, Beaumes-de-Venise, Cairanne, Châteauneuf-du-Pape, Gigondas, Lirac, Rasteau, Tavel, Vacqueyras e Vinsobres. De fortificados, Muscat Beaumes-de-Venise e Rasteau.

Continua após a publicidade

Há  muitas descobertas a explorar no vale do Rhône!

 

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.