Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Witzel vira réu por corrupção e tem afastamento do governo prolongado

A denúncia foi aceita pelo STJ nesta quinta (11). O governador do Rio continua afastado do cargo por mais um ano

Por Agência Brasil Atualizado em 12 fev 2021, 15h45 - Publicado em 12 fev 2021, 13h05

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu aceitar nesta quinta (11) a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Com a decisão, Witzel passa à condição de réu no processo. No mesmo julgamento, os ministros também decidiram manter o afastamento por mais um ano.

+ Rio planeja metrô leve com custo R$ 2 bilhões para o Aeroporto do Galeão

Em agosto do ano passado, Witzel foi afastado do cargo por 180 dias em decisão do ministro Benedito Gonçalves, do STJ. O afastamento foi determinado no âmbito da Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Desde o início das investigações, Witzel nega o envolvimento em atos de corrupção e sustenta que seu afastamento não se justifica.

Continua após a publicidade
Publicidade