Clique e assine por apenas 4,90/mês

Covid-19: Rio pode triplicar número de testes para doença

Exames imuno sorológicos passarão de 300 para 1000 por dia

Por Agência Brasil - 7 jul 2020, 16h34

O município do Rio de Janeiro vai poder triplicar o número de testes imunosorológicos para covid-19 realizados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). De acordo com o governo do estado, atualmente, a SES faz diariamente cerca de 300 testes no posto do Departamento de Trânsito (Detran) do Largo do Machado, na Zona Sul do Rio, mas poderá subir para 1 mil testes/dia, com a assinatura do termo de cooperação da pasta com o projeto Dados do Bem, uma iniciativa sem fins lucrativos desenvolvida pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e pela Zoox Smart Data. Os municípios de Niterói, Campos, Macaé e Nova Iguaçu já fazem testes sorológicos a partir do aplicativo.

Conforme a secretaria, a Dados do Bem cedeu gratuitamente ao governo do estado um aplicativo que permite ganho tecnológico para a marcação e a realização dos testes, além do mapeamento mais preciso da curva do novo coronavírus no Rio de Janeiro. “Ele combina inteligência epidemiológica e big data para acompanhamento, em tempo real, da distribuição da pandemia nos centros urbanos. Os resultados vão auxiliar o governo do estado na tomada de decisões em relação ao enfrentamento da pandemia”, informou.

+Número de mortes em casa no Rio quase dobrou em abril e maio

Para fazer o teste, quem estiver interessado precisa preencher um cadastro no aplicativo, responder um questionário de autoavaliação, com perguntas sobre sintomas associados à covid-19 e histórico de saúde. Se as respostas ao questionário apontarem para alta probabilidade de covid-19, a pessoa será chamada para fazer o teste imunosorológico. Não é um diagnóstico, mas a avaliação de sinais clínicos e epidemiológicos.

Continua após a publicidade

O aplicativo está disponível nos sistemas Android e iOS de forma gratuita e o anonimato de todos os participantes é preservado, incluindo as informações coletadas que não serão utilizadas para fins lucrativos. Se baixar o aplicativo, a pessoa concorda com o envolvimento voluntário no estudo.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O secretário estadual de Saúde, Alex Bousquet, destacou a importância desse processo de testagem para o estado do Rio.“Fizemos uma parceria muito importante, que vai nos permitir triplicar a capacidade diária de testagem sem nenhum ônus para o estado, usando um sistema de eficiência reconhecida”, observou.

Com a parceria, a SES poderá fazer também o compartilhamento da inteligência de dados gerada pelo aplicativo e o treinamento de profissionais, que começa nesta terça (7). A operação do projeto fica sob responsabilidade da pasta. A expectativa da SES a partir do aplicativo, é que na próxima segunda-feira (13), já seja possível realizar 600 testes marcados por dia. A meta é chegar a 800/dia já na segunda semana, e a 1 mil/dia ainda este mês.

Continua após a publicidade

Para o assessor especial da Secretaria de Estado de Saúde, coronel Sérgio Simões, a parceria com o Dados do Bem vai ajudar a SES tomar medidas de combate ao avanço da pandemia. “Com o uso do aplicativo e com toda tecnologia que faz parte da iniciativa, vamos conseguir ser mais assertivos na testagem por amostragem e ter acesso aos dados de inteligência que estão por trás do aplicativo. Iniciativas como essa mostram como os diferentes setores da sociedade, público e privado, estão unidos na missão de salvar vidas”, apontou.

+Hospitais do Rio retomam cirurgias eletivas

O atendimento no município do Rio será feito no posto do Detran, no Largo do Machado, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h. Somente as pessoas que receberam a confirmação para o teste por meio do aplicativo estarão autorizadas para o acesso ao local. É necessário levar o celular com o voucher (um QR code) e a carteira de identidade. O resultado é enviado ao usuário por meio do aplicativo”, alertou a SES.

Dados do Bem faz o monitoramento epidemiológico com tecnologia de geolocalização e metodologia para acompanhamento, em tempo real, da evolução da epidemia do coronavírus nos centros urbanos. O projeto criado por médicos, cientistas e engenheiros de dados é cedido gratuitamente à população e aos governos. Nele, é possível ter acesso a um mapa de distribuição do vírus e dados estratégicos sobre a covid-19. Essas informações facilitam a tomada de decisão pelas autoridades.

Continua após a publicidade

+Coronavírus: E agora? Witzel mantém restrições já liberadas por Crivella

 

Publicidade