Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Plataforma on-line arrecada doações para pessoas em vulnerabilidade no Rio

Iniciativa da prefeitura permite a doação de materiais, recursos financeiros e o cadastramento para trabalhos voluntários

Por Luiza Maia 10 set 2021, 18h28

A Prefeitura do Rio lançou na última quinta (8) uma plataforma digital de incentivo às doações solidárias entre os cariocas. Por meio do site, as pessoas, empresas e organizações interessadas podem se voluntariar ou repassar recursos para ajudar a população em situação vulnerável no município.

+ ArtRio: para bancar projetos sociais, museus põem à venda obras de grandes artistas

O programa disponibiliza quatro opções para doar: recursos financeiros, materiais, tempo e serviços. Os voluntários que quiserem participar de ações sociais ou prestar trabalhos podem escolher o tipo de atividade e até dois locais de preferência para atuar.

“Muitas pessoas têm vontade de ajudar e não sabem como ou para quem doar. Na plataforma, é possível indicar a forma que se deseja contribuir, seja oferecendo uma aula, uma pintura de parede, cuidando de idosos, doando um móvel. Qualquer pessoa pode participar”, explica a secretária de Assistência Social, Laura Carneiro.

+ Homenagem: projeto de lei nomeia Maria Lenk patrona da natação brasileira

Ao realizar uma doação, o usuário poderá ver a lista de demandas de cada local cadastrado e escolher para onde enviar os recursos. O balanço das contribuições enviadas e encaminhadas pode ser acompanhado na seção “Transparência” do site.

Continua após a publicidade

As doações serão distribuídas por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), que administra 118 locais de atendimento e acolhimento de pessoas em vulnerabilidade.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

“Caso a plataforma cresça e mais pessoas se engajem, nosso objetivo é incluir outras entidades e ONGs da sociedade civil que possam também receber esse apoio”, afirma a secretária.

O Rio possui atualmente 38 unidades para abrigar a população em situação de rua, catorze Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAs), que atendem pessoas em situação de risco pessoal ou social e 47 Centros de Referência da Assistência Social (CRAs), com serviços para pessoas em situação vulnerável com vínculos familiares preservados.

+ Covid-19: Rio prorroga medidas restritivas e reduz distanciamento mínimo

De acordo com a SMAS, a rede atendeu 700 000 pessoas desde o início de 2021, um número 30% maior que o registrado no mesmo período em 2020. Novas vagas em abrigos também devem ser abertas até o fim do ano, passando de 2 600 para 3 200.

Continua após a publicidade
Publicidade