Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Rio prorroga medidas restritivas e reduz distanciamento mínimo

Boates e pistas de dança seguem proibidas até 20 de setembro. Capacidade máxima passa a ser de 60% nos espaços liberados

Por Luiza Maia 10 set 2021, 14h11

As medidas de prevenção à Covid-19 foram prorrogadas no município do Rio até o dia 20 de setembro. Segundo o decreto anunciado pela prefeitura nesta sexta (10), as boates, danceterias e festas em locais públicos e privados continuam proibidas. No entanto, foi liberada uma redução do distanciamento mínimo obrigatório nos estabelecimentos.

+ Covid: Prefeitura libera torcedores em três jogos do Flamengo no Maracanã

Nas academias, piscinas e centros de treinamento esportivo, o afastamento mínimo passou de 4 metros para 1 metro. Já nas lojas, centros comerciais, cinemas, pontos turísticos, parques e espaços culturais, a lotação máxima passa a ser de 60% – tanto em locais abertos, quanto fechados. A distância passou de 1,5 metro para 1 metro.  

+ Fiocruz: boletim mostra leve queda em ocupação de leitos de Covid no Rio

Seguem também autorizados:

Continua após a publicidade
  • Bares, restaurantes e quiosques com distância mínima de 1,5 metro e música ao vivo.
  • Apresentações, concertos e rodas de samba com distanciamento de 1 metro e capacidade máxima de 60% do público sentado.

A decisão da prefeitura ainda permite a solicitação de eventos-teste na cidade, desde que os protocolos sanitários sejam seguidos. Segundo as normas, eles devem ocorrer em espaços ao ar livre, com distanciamento mínimo, uso de máscara obrigatório e entrada mediante o teste negativo de Covid-19 e comprovante de vacinação.

+ Covid: Rio recebe doses da Pfizer para vacinar adolescentes nesta sexta (10)

De acordo com o 36º Boletim Epidemiológico no Rio, divulgado nesta sexta (10), o número de internações por casos graves de Covid-19 na cidade caiu 26% em comparação à semana anterior.

Com a melhora no índice, seis regiões da cidade (Zona Portuária, São Cristóvão, Penha, Ilha de Paquetá, Santa Teresa e Barra da Tijuca) passaram a apresentar risco moderado de contaminação pela doença.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O novo balanço do município também mostra uma tendência de queda no número de casos confirmados por início dos sintomas na última semana, assim como dos atendimentos nas redes de urgência e emergência.

Continua após a publicidade
Publicidade