Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Paes chama Light de ‘vagabunda’, após empresa cortar luz de 66 prédios da prefeitura

Um dos imóveis afetados foi o Parque Olímpico, na Barra, o que provocou a suspensão da vacinação no local. Município acumula dívida de R$ 261 milhões

Por Paula Autran 15 out 2021, 15h16

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, usou as redes sociais para chamar a Light de “vagabunda”, após a empresa ter cortado o fornecimento de luz a 66 prédios da prefeitura. Segundo a distribuidora de energia, o corte aconteceu por conta de uma dívida de R$ 261 milhões do município e não foi feito em instalações cadastradas como sendo de serviços essenciais. Mas um dos pontos atingidos é o Parque Olímpico, na Barra, o que levou a Secretaria de Saúde a suspender a vacinação drive-thru no local.

+ Covid: pela primeira vez, todos os municípios do Rio possuem risco baixo

“A Light é uma empresa vagabunda. Passaram anos aliviando a barra do governo anterior. Agora querem receber na base do lobby e da chantagem. Eles terão as mesmas condições de recebimento de todos os fornecedores que têm crédito conosco! Não adianta nem forçar! Não passarão”, escreveu o prefeito no Twitter. Depois completou: “A vagabundagem da Light mata! Irresponsáveis!”, ao citar a vacinação suspensa no drive-thru.

Mais tarde, em coletiva de imprensa para a apresentação do 41º Boletim Epidemiológico da cidade, Eduardo Paes voltou ao assunto: “A maneira como a Light procedeu é quase uma estratégia de guerra. Geopoliticamente, eles escolhem alvos certeiros para dar uma espécie de aviso ao município. Só que, aqui, essa estratégia não vai funcionar”.

+ O recorde que a gente não queria: Rio tem a gasolina mais cara do país

Segundo o prefeito, há “algo em torno de R$ 6 bilhões em restos a pagar” de “serviços executados e reconhecidos pela prefeitura que não foram pagos pelo governo anterior”. Ele explicou que o município pretende implementar o chamado “leilão reverso”, para quitar suas dívidas com todos os fornecedores. “Quem oferecer maior desconto recebe primeiro e pode até receber à vista”, detalhou, antes de voltar a criticar a Light:

“Eles não vão achar que vão impor aqui, dar uma de malandro. Eles arrumaram uma confusão grande, e não vamos ficar calados diante desse tipo de estratégia, de malandragem. Isso é chantagem, isso é vagabundagem, isso é desrespeito. Não vamos aceitar chantagem, nem vagabundagem, nem lobby, nem desrespeito”.

Continua após a publicidade

+ Quanto custa um certificado de vacinação falsificado no Rio


Em nota divulgada ainda ontem, quando suspendeu o fornecimento de energia às 66 unidades administrativas da prefeitura, a Light informou que dos mais de R$ 261 milhões devidos pelo município, R$ 68 milhões são referentes a 2021. E ressaltou que realizou diversas tentativas de acordo para regularizar os débitos, tendo notificado o órgão previamente com aviso de corte, como determina a legislação.

Nesta sexta (15), em nova nota, a distribuidora de energia informou que foi procurada pela manhã pela Secretaria Municipal de Esportes para retomar o processo de negociação de sua dívida.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

“A Secretaria de Esportes informou que já realizou nota de empenho para pagamento, e a companhia está enviando equipes aos locais para efetuar as religações, entre elas as da Arena Carioca e da Nave do Conhecimento da Penha”, diz a nota, acrescentando que todas as unidades da prefeitura que têm débitos com a companhia receberam aviso de corte em suas faturas. “Adicionalmente, foi feito um reaviso de corte via carta protocolada na Prefeitura no dia 15 de setembro de 2021”, finaliza o documento.

Continua após a publicidade

Publicidade