Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Por que, em missa de sétimo dia, mãe de Paulo Gustavo emocionou e fez até rir

Inspiração para a personagem Dona Hermínia, Déa Lúcia assistiu à cerimônia com um terço e de mãos dadas com a filha. Entre lágrimas, cantou "Fascinação"

Por Redação Atualizado em 12 Maio 2021, 12h06 - Publicado em 12 Maio 2021, 12h05

Celebrada pelos padres Omar, Jorjão e João Damasceno no início da noite desta terça (11), no Cristo Redentor, seguindo as normas internacionais contra o coronavírus e regras da Arquidiocese do Rio e da Vigilância Sanitária, a missa de sétimo dia do ator e humorista Paulo Gustavo emocionou o público e os presentes. Restrita à família e amigos mais íntimos do ator, a celebração foi transmitida pelo Multishow.

Mãe de Paulo Gustavo, Déa Lúcia, inspiração para a principal personagem dele, Dona Hermínia, assistiu à cerimônia segurando um terço e de mãos dadas com a filha, Juliana Amaral. O pai, Júlio Marcos, vestia uma camisa com a imagem do ator.

+Paulo Gustavo: com 90% de aprovação, rua de Niterói terá o nome do ator

Diversos momentos marcaram a cerimônia, como Regina Casé rezando “Ave Maria” e “Salve Rainha” com a imagem de Nossa Senhora, as luzes do Cristo apagadas por um minuto em homenagem às 423 000 vítimas da Covid-19, ali representadas pelo humorista, o discurso emocionado de Thales Bretas, marido do ator… Mas foi a matriarca quem chorou, cantou e arrancou mais lágrimas da turma. “Ele passou no teste do Enem da vida: ele amou. A fé é o que me segura. Eu falo para Deus: eu creio e aceito a partida do meu filho, me ajuda a seguir a vida aqui”, contou, entre lágrimas. 

+É oficial: São Clemente muda enredo e vai homenagear Paulo Gustavo

Com o mesmo bom humor do filho, que conquistou plateias pelo país, dona Déa ainda conseguiu brincar com os Canarinhos de Petrópolis, que a acompanhavam ao cantar “Fascinação”. “Conheci todos crianças e agora estão velhos, de cabelo branco, olha lá”. Por fim, ainda agradeceu toda a rede de apoio e orações para o filho. “Gratidão eterna aos amigos que estão aqui. Foram 54 dias de sofrimento, mas vocês me ajudaram. Queria deixar um beijo para todos os fãs do Brasil, cada um que, na sua religião, orou para o Paulo Gustavo. Ele se curou, foi embora, está lá em cima. Me coloco de joelhos por todas as mães que perderam seus filhos. É muito triste. Um filho nunca deveria ir embora antes da mãe”, arrematou na cerimônia, que reuniu nomes como Luciano Huck e Angélica, a diretora e médica Susana Garcia e Samantha Schmütz.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade