Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Museu da Imagem e do Som receberá recursos para preservar seu acervo

Inaugurado em 1965, o MIS tem em seu acervo mais de 4 000 horas de gravação de profissionais da cultura

Por Bruna Motta Atualizado em 25 nov 2020, 11h37 - Publicado em 25 nov 2020, 11h36

O Museu de Imagem e do Som (MIS) vai receber no próximo dia 2 de dezembro o valor dos fundos do edital internacional Prince Claus Fund e Gerda Henkel Foundation. Os R$120 000 reais serão destinados à aquisição de equipamentos para a preservação do seu acervo com mais de 300 000 documentos e mais de 4 000 horas de gravação de profissionais da cultura.

+Donos de restaurantes do Centro lideram movimento pela sobrevivência 

Vinculado à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, o museu prevê o monitoramento das condições ambientais e a elaboração de um plano de gerenciamento de riscos para a proteção do acervo. “Tal projeto garante a segurança, o controle e a preservação dos itens do MIS, principalmente no que se refere a furtos e sinistros, variação de temperaturas e umidade”, disse Clara Paulino, presidente da Fundação Museu da Imagem e do Som.

+Rio: seguranças do Carrefour espancaram e violentaram mulher negra 

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui  

Inaugurado em 1965, o Museu da Imagem e do Som é considerado o primeiro museu audiovisual do Brasil. O MIS tem em seu acervo ainda 93 000 fotografias, com 1700 negativos em vidro e 26 000 estereoscópicas; e uma discoteca de quase 60 000 discos, entre LPs, compactos e 78 RPM, incluindo cerca de 18 000 discos da Rádio Nacional, reunindo músicas, novelas e scripts de programas que marcaram época. Além do acervo documental, o MIS possui uma reserva técnica, onde estão guardados os objetos tridimensionais das diferentes coleções e uma biblioteca com cerca de 9 000 títulos.

+Covid-19: Rio atinge 70% de leitos em enfermarias e índice preocupa. Entenda 

 

Continua após a publicidade
Publicidade