Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Metrô do Rio convida artistas para sinalizar vagões femininos

Agora, acabou a desculpa de homens que entram nos carros das mulheres "sem saber". Ação conscientiza sobre violência de gênero e importunação sexual

Por Marcela Capobianco Atualizado em 23 out 2020, 11h21 - Publicado em 23 out 2020, 11h16

No Rio de Janeiro, a cada dia, três mulheres sofrem importunação sexual. O Dossiê Mulher do Instituto de Segurança Pública do Rio mostra que a maior parte dos crimes acontece no transporte público, na ida e volta para casa.

O MetrôRio dispõe de vagões exclusivos para mulheres, das 6h às 9h e das 17h às 20h, em dias úteis, cumprindo leis estaduais de 2006 e 2016.

No entanto, é comum que homens entrem “erradamente” nos carros femininos, alegando que não perceberam a sinalização, até então discreta. Em muitos casos, eles são expulsos dos espaços pelas próprias passageiras.

+ Museu Casa do Pontal se despede do Recreio com exposição do acervo

Pensando em modificar esse cenário, a concessionária de transporte se uniu à Visa numa ação que prevê a adesivação de vinte vagões femininos (ao todo, o metrô dispõe de 64 trens na frota) com artes chamativas e multicoloridas, para jogar luz à causa e impedir que homens desavisados embarquem nos carros exclusivos das mulheres.

A convite da Visa, os artistas visuais Linoca Souza, Lune Carvalho e Jana Glatt, cujas obras se destacam por levantar questões relacionadas a gênero, desenvolveram nove painéis diferentes, que estão sendo adesivados nos trens.

+ A programação dos teatros que voltaram a receber o público

Vagões femininos coloridos: arte de Linoca Souza destaca o carro exclusivo para mulheres entre 6h e 9h e 17h e 20h Studio Laura Campanella/Divulgação

“Quando desenvolvi as ilustrações, pensei na força feminina brasileira, na mulher que ocupa os espaços urbanos, por onde o metrô passa. Todas elas têm sonhos e ideias. Em nossas formas e cores diversas, somos muito fortes. É importante falar sobre abusos, sobre como combatê-los, e ressaltar que o corpo do outro, independente de sua vestimenta e de sua forma física, deve ser respeitado”, explica Linoca Souza.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

De acordo com o MetrôRio, quando um homem embarca no carro feminino – que pode ser usado por mulheres e pessoas que se identificam com o gênero feminino -, ele é informado sobre a legislação e convidado a sair imediatamente por um agente da concessionária. Em caso de desobediência, a Polícia Militar pode ser acionada.

“Fazia tempo que a gente tentava divulgar uma mensagem mais clara sobre os vagões femininos, porque sabemos que existe o mau uso proposital e também o homem desinformado. Acreditamos que, agora, isso vá mudar de figura. O vagão está muito evidente”, comenta o presidente do MetrôRio, Guilherme Ramalho.

+ Sem desfiles, escolas buscam alternativas para o Carnaval de 2021

Camila Novaes, gerente de Marketing da Visa do Brasil, conta que todo o processo foi muito rápido. “A ideia da parceria surgiu no início da pandemia, quando discutíamos soluções de sinalização para o pagamento por aproximação em débito. O metrô dividiu uma dor que também é levada muito a sério pela gente. Foi uma boa oportunidade para falar de respeito, diversidade e arte. Passamos o briefieng para os artistas em junho e, em poucos meses, já estava tudo pronto”, conta a executiva.

+ “Agredir a Lapa não torna o Leblon um lugar melhor”, diz dono do Rio Scenarium

Os vagões femininos sinalizados começam a circular pelas estações nesta sexta (23). A ação tem previsão de durar um ano.

 

Continua após a publicidade
Publicidade